Brinquedo de gente grande

Fiat 500 é carro divertido de dirigir e montar

Fiat 500 Lounge | Imagem: Bruno Gonzaga

O carro mais caro da Fiat no Brasil agora tem apenas 3,5 m de comprimento – 15 cm a menos que o Mille – e porta-malas que comporta parcos 185 litros de bagagem. É isso mesmo: seu menor modelo é o de preço mais alto, superando o Linea T-Jet por R$ 370.

E nem por isso deixa de ser um veículo interessante. Pelo contrário, a demanda pelo Cinquecento só tende a ser grande e os compradores, na maioria pessoas que não possuem outros carros da marca.

Como explicar o fascínio pelo Cinquecento, então? Simples: é um carro para se divertir. Esqueça a referência que você tem de outros automóveis da Fiat. Exceto pelo fato de ser diminuto – mas não tanto quanto sua inspiração, o 500 da década de 1950 -, o hatch foi feito para curtir, seja pelo prazeroso estilo de guiar ou pelas inúmeras possibilidades de configuração e personalização.

Carro de imagem

A Fiat deixou claro desde o princípio qual é a missão do 500: “ser um carro de imagem, por isso não nos interessa vendê-lo em grandes volumes. Ele é um carro de luxo cult", definiu Lélio Ramos, diretor de vendas da marca durante o lançamento no Rio de Janeiro.

A marca até que demorou para resgatar um símbolo do passado como já fizeram Volkswagen, BMW e Chrysler. Tal qual o inglês Mini, o 500 era um carro de massa e uso urbano com motor econômico. Já a atual reedição só traz do antigo a inspiração das linhas. Seu público é outro: pessoas das classes A e B que já têm alguns carros e buscam um modelo divertido, mas bem equipado.

Por isso o 500 vem equipado com itens de carros de luxo como controle de tração, ESP e Hill Holder, um mecanismo que mantém o veículo parado em subidas. Mas o espírito do modelo é o de ver e ser visto. O estilo soube resgatar o jeito simpático do seu antecessor, mas sem parecer um carro velho.
Adereços estéticos oferecidos como opcionais e acessórios deixam o carrinho personalizado com facilidade: são diversas cores, faixas, apliques, spoilers e saias disponíveis nas concessionárias.

Internamente não é diferente. Painel, mostradores e bancos podem ser definidos pelo proprietário, sobretudo na versão Lounge, a mais cara e chamativa. Até mesmo o volante, hastes e botões ganham outra cor, como o branco.

Apetite na cidade

A Fiat trouxe o Cinquecento em quatro versões para o Brasil. É possível combinar câmbio manual ou Dualogic (com embreagem automatizada) com acabamento Sport ou Lounge. O motor, ao contrário, é único, um 1.4 16V aspirado com 100 cv de potência – é o mesmo bloco que equipa o Punto e Linea T-Jet, mas esses possuem turbo.

A transmissão manual possui seis velocidades enquanto a Dualogic, cinco marchas e opção sequencial atrás do volante.

Andamos durante o test-drive com as versões Sport manual, e Lounge Dualogic e manual. Todas, realmente, têm caráter bem diferente.

O Sport é mais discreto e nem por isso menos divertido. No interior predomina a cor negra e a cor do carro numa faixa central, como nos veículos antigos. O ar-condicionado é manual e o teto do carro é comum. O painel de instrumentos é um show à parte, com seus círculos concêntricos com velocímetro, conta-giros e computador de bordo digital.

Já o Lounge traz de série o teto de vidro fixo – se o cliente quiser, pode comprar o Sky Window – e o ar-condicinado digital. Além disso, como dissemos, a combinação de cores e revestimentos é mais ampla. Essa versão, sem dúvida, é a que mais remete ao passado do 500: o clima é da década de 1950 meio futurista, um barato. Um dos modelos que andamos tinha bancos com tecido xadrez que, sem dúvida, deve encantar o público feminino.

Manual ou Dualogic? Manual, sem pestanejar. O sistema de embreagem automatizada não aproveita o melhor do motor 1.4 e agilidade natural do carrinho. Já o câmbio de seis marchas combina demais com o apetite de performance do 500. O hatch, embora com formas reduzidas e perfil alto, é arisco e de suspensão dura, realçando o caráter esportivo. O motor tem ruído áspero que reforça essa impressão e a direção elétrica possui respostas rápidas e peso equilibrado.

Entre o Smart e o Mini

A faixa de preço do 500 – de R$ 62 870 a R$ 68 970 – está pouco acima do Smart ForTwo e bem mais acessível que o Mini Cooper. Ele resume o que você vai encontrar no Fiat: um modelo mais espaçoso que o Smart e mais barato que o inglês. Para se ter uma ideia do que encontrar a bordo do 500, imagine um Ford Ka antigo, que possuía quatro lugares, mas com acabamento e visual bem mais interessante.

Se a Fiat esperava criar um sentimento de admiração pelo carrinho isso parece fácil. Por onde passou, o Cinquecento despertou olhares de curiosidade e simpatia que apenas 300 pessoas poderão desfrutar todos os meses se a meta de vendas não for excedida.

Ficha técnica

Fiat 500 2010 Sport 1.4 16V gasolina automatizado 2p
Preço R$ NaN (10/2019)
Categoria Hatch subcompacto
Motor 4 cilindros, 1368 cm³
Potência 100 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 13,4 kgfm a 4250 rpm
Dimensões Comprimento 3,546 m, largura 1,627 m, altura 1,492 m, entreeixos 2,3 m
Peso em ordem de marcha 935 kg
Tanque de combustível 35 litros
Porta-malas 185 litros
Veja ficha completa

Recomendados por AUTOO

Youtube
Toyota Corolla Cross 2025 muda para encarar chineses

Toyota Corolla Cross 2025 muda para encarar chineses

Modelo ganhou novo visual e alguns equipamentos interessantes. Assista
Aviação
Maior avião brasileiro está combatendo incêndios no Pantanal

Maior avião brasileiro está combatendo incêndios no Pantanal

Embraer KC-390 da FAB pode ser convertido para avião bombeiro. Veja como funciona
MOTOO
Bajaj inaugura fábrica no Brasil

Bajaj inaugura fábrica no Brasil

Uma das maiores montadoras do mundo, a gigante indiana construiu fábrica própria em Manaus para produção de motocicletas