Chevrolet Malibu ganha nova geração em NY

Atração do salão, novo Malibu foi completamente reformulado e traz motor 1.5 Ecotec turbo

Chevrolet Malibu 2016 | Imagem: Divulgação

Com vendas mornas nos últimos anos no segmento de sedãs grandes, a Chevrolet quer voltar a fazer bonito e incomodar os rivais com a sexta geração do Malibu. O novo modelo está sendo apresentado no Salão de Nova York, que abriu suas portas na última quarta-feira (1), e foi totalmente reformulado, com visual mais agressivo, interior moderno, conjunto mecânico mais eficiente, conectividade e recursos avançados de segurança.

Do lado de fora já dá para notar que o Chevrolet Malibu 2016 nada tem a ver com a geração vendida atualmente (pelo menos lá fora). Na dianteira, o destaque fica para a enorme grade bipartida, com formato diferenciado do que vimos nos últimos lançamentos da marca, formando conjunto com os faróis espichados e o para-choque com recortes modernos, dando uma cara bastante agressiva ao sedã.

Nas laterais, o destaque fica por conta teto mais inclinado e também dos vincos marcantes nas portas. Já na traseira, o novo Malibu lembra o irmão maior Impala e até mesmo a nova geração do médio Cruze, com lanternas horizontais de LED invadindo a tampa do porta-malas e uma espécie de aerofólio na parte superior.

Por dentro, o Chevrolet também está mais moderno, com um painel ao estilo dual cockpit e materiais de qualidade, além de itens tecnológicos, como o sistema MyLink (com tela de sete polegadas para os modelos LS, LT e Hybrid, e de oito polegadas como opcional para os dois últimos e de série no topo de linha Premier), OnStar 4G LTE com WiFi Hotspot, sistema de carregamento sem fio para celulares, duas portas USB na traseira e tomada de 110 volts.

Nos equipamentos, há ainda airbags frontais, laterais, de cortina e de joelho, assistente de mudança de faixa, controle de cruzeiro automático e de frenagem, assistente de estacionamento, alerta de risco de colisão de pedestres, sensores de estacionamento dianteiro e traseiro, câmera de ré, IntelliBeam (que muda os faróis para farol alto em estradas), Teen Driver (para monitorar os adolescentes no volante), entre outros.

Nas medidas, o Chevrolet Malibu ganhou 58 milímetros no comprimento e 91 mm na distância entre-eixos, aumentando o espaço para as pernas dos ocupantes, especialmente para os de trás, com ganho de 33 mm. Além disso, o modelo está 136 quilos mais leve, graças a nova plataforma e ao uso de aços de alta resistência.

Malibu híbrido

Quanto às motorizações, o sedã agora é equipado com o novo motor 1.5 litro Ecotec turbo, que rende 160 cavalos de potência e 25,5 kgfm de torque, com direito a câmbio automático de seis marchas e sistema start/stop, oferecendo consumo de combustível de 11,5 km/l na cidade e 15,8 km/l na estrada. Há ainda o 2.0 turbo a gasolina, de 250 cv, com transmissão automática de oito velocidades. 

A grande novidade, porém, fica por conta da versão Hybrid, que usa uma versão ligeiramente modificada do conjunto do novo Volt, com direito a um propulsor 1.8 Ecotec de quatro cilindros, com injeção direta de combustível, e outros dois elétricos, entregando potência combinada de 184 cv.

O Malibu híbrido traz ainda sistema de frenagem regenerativa, que proporciona máxima recuperação de energia cinética durante a frenagem para ser armazenada no sistema de baterias de íon de lítio de 1,5 kWh e, assim, ajudar a manter a carga, e também uma tecnologia que utiliza o calor do escape para aquecer o motor e a cabine, garantindo uma maior economia de combustível.

O consumo médio do modelo “ecológico”, de acordo com a Chevrolet, é de 20,4 km/l na cidade, 19,1 km/l na estrada e 20 km/l no ciclo combinado, enquanto a velocidade máxima no modo elétrico é de 88 km/h.

O novo Chevrolet Malibu 2016 vai ser produzido em Kansas, nos EUA, que recebeu um investimento de US$ 600 milhões, e deve chegar às concessionárias no quarto trimestre. 

De volta ao Brasil?

A Chevrolet chegou a vender a quarta geração do Malibu no Brasil por um curto tempo e pretendia trazer a geração seguinte, mas mudou de ideia depois de chegar à conclusão que o preço seria inviávei. Agora, com a nova geração, certamente mais eficiente e global, talvez a montadora repense sua estratégia.