China cria a ''taxa do luxo'' para carros vendidos no país

Governo chinês quer estimular o consumo razoável com a nova medida
Bentley Bentayga 2016

Bentley Bentayga 2016 | Imagem: Divulgação

A China anuncia nesta semana uma medida que afeta em cheio os interesses das montadoras de carros de alto luxo ou esportivos. A administração federal vai sobretaxar em 10% modelos que custem mais de 1,3 milhão de yuans, o equivalente a cerca de R$ 650.000.

Segundo uma declaração do Ministro das Finanças do país, Li Keqiang, a medida servirá para “guiar um consumo mais racional, ajudar a reduzir emissões e poupar energia”.

O secretário-geral da associação de carros de passeio na China, Cui Dongshu, considera que a medida do governo pode ajudar a reduzir os tributos que incidem sobre veículos compactos. “A sobretaxa para carros de luxo e esportivos é uma grande propaganda do governo para pregar a frugalidade. Com isso, é bem possível que eles reduzam a taxa para veículos compactos ou aqueles com menor consumo de combustível”. Um Bentley Bentayga, por exemplo, custa 3,98 milhões de yuans, cerca de R$ 2 milhões.

Analistas, contudo, declaram que a sobretaxa para os veículos de luxo deverá surtir pouco efeito, em especial sobre marcas como BMW, Mercedes-Benz e Audi, que lideram o segmento no país asiático. “Apenas poucos modelos superam a faixa de 1,3 milhão de yuans em nosso portfolio por aqui”, declarou um porta-voz da BMW. Já na Audi, carros com esse valor representam menos de 1% da gama.

“Emoção e status são atributos significativos no segmento de luxo. O efeito da nova taxa estipulada pelo governo deverá ser limitado, até porque afeta todos os fabricantes do setor”, declarou a Audi.