Talvez a marca chinesa que mais leva a sério suas intenções no Brasil é a Chery, que já comercializa o utilitário Tiggo por aqui. Durante o Salão de Pequim, o vice-presidente da companhia,  Zhou Biren, expressou o desejo de montar uma fábrica da marca no País. “Exportando para o Brasil, perdemos tempo com a espera de 45 dias. Com uma fábrica local, ganharemos nisso e ainda poderemos abastecer a região sul do continente e o México. O Brasil é estratégico para nossas vendas na América Latina e queremos atender bem este mercado”.

Segundo informações do site Autoesporte, a Chery está no processo de viabilização da fábrica, que deve ser anunciada oficialmente daqui a três meses. Nela, seriam produzidos em regime CKD (Completely Knock-Down, ou completamente desmontado) carros das quatro empresas do grupo – além da Chery, as marcas Riich, Rely e Karry. O principal lançamento da empresa no Salão de Pequim, o Riich G5 (sedã médio com motor 2 litros), também está nos planos para o Brasil. Se confirmada, a unidade brasileira seria a 12ª da fabricante chinesa. Até lá, os brasileiros já terão conhecido os modelos Cielo e QQ, previstos para maio e o segundo semestre, respectivamente. 

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

Rodrigo Mora

|