Chrysler 300C retorna ao Brasil

Modelo, vendido a partir de R$ 179,9 mil, é oferecido por ora apenas com motor Pentastar V6 de 289 cv

Chrysler 300C | Imagem: Divulgação

A Chrysler voltou a comercializar no Brasil o sedã 300C, agora chamado apenas de "300". O modelo, que deixou de ser vendido em solo brasileiro há dois anos, foi reestilizado após a aquisição do grupo americano por parte da Fiat e deixou de lado o estilo retrô para assumir linhas mais modernas e imponentes.

De quebra o sedã, que pesa quase duas toneladas, trocou o antigo motor 3.5 V6 de 246 cv pelo novo Pentastar 3.6 V6 de 289 cv, que, em conjunto com a transmissão automática E-Shift de oito velocidades, segundo dados da marca, percorre em média 14 km/l.

O carro vem equipado com itens como ar-condicionado dual zone, airbags dianteiros, lateirais, traseiros do tipo cortina e suplementares laterais, bancos dianteiros com regulagem elétrica de altura, distância e de lombar, sistema de áudio Uconnect Touch com tela de LCD de 8,4” que reúne informações do sistema de som e GPS , controlador eletrônico de velocidade (cruise control) e sistema de entrada e ignição sem a chave.

A novidade custa R$ 179,9 mil no mercado nacional e, por ora, a versão com motor V8 não será disponibilizada.

Primo europeu

Na Europa, o único país do velho continente onde a Chrysler comercializa seus carros com a própria bandeira é o Reino Unido. Lá, além do 300C e do Grand Voyager – chamado no Brasil de Town & Country – ela também oferece em sua gama o novo Ypslon e o Delta, modelos da "prima" Lancia.

Leia também: Lancia terá linha baseada em modelos da Chrysler

Em contrapartida, nos demais mercados quem assume a frente é a marca italiana, que além do sedã de luxo – chamado por ela de Thema – também vende o Grand Voyager e em breve deve receber ainda a versão conversível do 200, que por lá deve se chamar Flavia Cabrio.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!