A Toyota continua negando que os acidentes ocorridos com o Corolla, que tem seu acelerador preso no assoalho pelo tapete, seja problema de projeto, alegando que os acidentes só ocorreram em unidades que não tinham tapete genuíno. Ainda assim, acatou a imposição do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC) e promoverá o que ela chama de “campanha de chamamento preventiva”.

A ação consiste em “prestar informações sobre a importância da fixação correta do tapete do motorista, bem como a importância do uso de peças genuínas para não afetar o retorno do pedal do acelerador", como diz em seu comunicado. A montadora também se prontificou em verificar o sistema de fixação da peça e eliminar eventuais não conformidades, que causam a aceleração involuntária. Segundo a Toyota, os proprietários de Corolla (modelo novo) serão chamados individualmente nos próximos dias.

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

Rodrigo Mora

|