Estreantes, Hyundai e Toyota tiram mercado de Fiat e Volks

As duas fabricantes já têm mais de 10% das vendas de hatches compactos. Com Onix, Chevrolet recupera espaço

HB20 já fez estragos nas vendas dos hatches tradicionais como o Gol | Imagem: Divulgação

Não chega a ser ameaçadora, mas a chegada de novas marcas no segmento de hatches compactos, o mais volumoso do Brasil, já causa estragos nas líderes do mercado, a Fiat e a Volkswagen. Levantamento exclusivo do AUTOO mostra que a Toyota e, sobretudo, a Hyundai, tiraram juntas mais que 5% das vendas das duas montadoras do grupo “tradicional”, que estão no País há pelo menos 30 anos.

Parece pouco, mas equivale a mais de 10 mil carros que deixaram de ser vendidos pelas duas caso elas mantivessem a mesma participação de mercado do 1º trimestre de 2012. Fiat e VW detinham no ano passado 30% e 26% dos emplacamentos de hatches pequenos e agora respondem por 27,5% e 24% desse segmento (veja gráfico abaixo). Enquanto isso, a Toyota beira os 2% das vendas e a Hyundai, a marca que efetivamente chacoalhou o mercado, já acumula 8,4% das vendas desse tipo de veículo.

O que impressiona nesse movimento inédito no mercado brasileiro é o fato das novas marcas não atuarem na “banda popular” dessa categoria, ou seja, não têm versões sendo oferecidas por menos R$ 30 mil – o HB20, por exemplo, sai por mais de R$ 33 mil na versão de entrada.

AUTOO
AUTOO

Hyundai e Toyota estrearem entre os hatches pequenos tirando mercado de quase todas as marcas, exceto Chevrolet e Citroën

Por falar no hatch da Hyundai, ele já é o 4º automóvel mais vendido do Brasil em 2013. Só perde para o Gol, Palio e Uno, mas está muito próximo dos dois modelos da Fiat. A marca sul-coreana só não os superou por não ter capacidade de produção para dar conta da demanda. A previsão, antes do lançamento do modelo era de emplacar 9 mil HB20 por mês em média, mas já foram vendidos até o começo de março cerca de 25 mil unidades: “só não vendemos mais porque nossos fornecedores não estão dando conta”, disse ao AUTOO um executivo da marca durante o lançamento da versão sedã, HB20S. “Estamos trazendo pneus da Coreia em lugar do produto nacional, que está em falta”, completou.

Chevrolet reverte perda

Outra marca que já pode comemorar é a Chevrolet. Depois de passar 2012 lançando diversos produtos, a fabricante americana começa a colher os resultados, sobretudo com a ótima receptividade do hatch Onix, que assumiu o espaço deixado pelo Corsa. O novo modelo é o 5º automóvel mais vendido do Brasil, compensando a queda nas vendas de outros Chevrolet como o Celta e o Agile. Com isso, a montadora conseguiu ver sua participação nessa categoria subir de 15,4% para 16,6% entre 2012 e 2013.

AUTOO
AUTOO

As marcas tradicionais, as francesas e as importadas sofreram com a estreia de Hyundai, Toyota e Nissan no segmento

Franceses e importados em queda

Não foram apenas Fiat e VW que perderam espaço com a chegada das estreantes entre os modelos pequenos. As três marcas francesas, Renault, Peugeot e Citroën, que foram as primeiras a tentar incomodar as fabricantes tradicionais ainda na década de 1990, viram sua fatia nesse segmento cair de 11,5% para 10%. Apenas a Citroën conseguiu compensar isso graças ao novo C3, lançado no ano passado. Mas Renault e Peugeot também devem estancar as perdas com as vendas do Clio reestilizado e do inédito 208, respectivamente.

Já as marcas chineses e a coreana Kia, que vendem apenas modelos importados, acusaram o golpe do aumento do IPI em 30 pontos percentuais. De 2,6% de participação elas mal passaram de 1% no início deste ano.

Mais equilíbrio

Apesar da perda de espaço, é praticamente impossível que a Fiat e a Volkswagen deixem de liderar entre os modelos pequenos. Com redes de concessionárias imensas e veículos mais simples em suas linhas, as duas devem seguir com volumes mensais acima das 20 mil unidades. Mas é certo que já não terão mais domínio nas fatias intermediárias e superiores desse segmento, onde hoje existem muitos produtos rivais, geralmente mais novos.

O cenário nos próximos anos será de muito equilíbrio já que ainda há estreias esperadas para um futuro breve. As chinesas Chery e JAC, por exemplo, vão inaugurar fábricas nacionais em 2014 com produtos nessa faixa de preço. A Nissan, marca que chegou a experimentar um pico de vendas com a dupla March e Versa vinda do México, começará a fabricá-los no Brasil dentro de um ano. E a Ford, que também perdeu terreno para Hyundai e Toyota, lançará uma nova família de compactos que sucederá o Ka, além de nacionalizar o New Fiesta ainda este ano.

Fiat e Volkswagen prometem reação: a primeira já trabalha no projeto 344, que dará origem a um sucessor do Uno Mille, e a Volkswagen está em estágio avançado para lançar o up!, compacto de entrada de projeto mundial. Sinal que a concorrência está, enfim, incomodando as líderes do mercado.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!