Fiat cogita encerrar produção do 500 no México

Sem atingir o volume esperado nos EUA, modelo pode abrir espaço na linha de montagem para modelos de maior apelo; preços no Brasil podem disparar

Fiat 500 custa R$ 48.990 | Imagem: Fiat

A Fiat imaginou que o pequeno 500 seria um sucesso estrondoso nos Estados Unidos, por isso abriu em 2011 uma segunda linha de montagem do compacto no México a fim de se aproximar do país e reduzir os custos de produção do produto até fabricado apenas na Polônia. Não deu certo.

Mesmo com valores convidativos, a fabricante italiana não alcançou o volume de vendas esperado nos EUA com o Cinquecento e por isso poderá mudar o rumo global do veículo no intuito de acertar a fórmula correta para abastecer o mercado norte-americano.

Segundo aponta reportagem da agência Automotive News, a próxima geração do Fiat 500, prevista para 2015, poderá deixar a linha de montagem em Toluca, no México, para ser produzida somente em Tychy, na Polônia, onde iniciou sua trajetória em 2009.

Além do resultado abaixo do esperado nos EUA, também pesa contra a Fiat, segundo a fonte, os protestos realizados pelos operários em sua fabrica polonesa, cujo ritmo de produção foi reduzido com a transferência da linha de montagem do compacto Panda para a Itália. Com essa decisão os salários também foram reduzidos.

Se a produção do 500 no México realmente for encerrada as vendas do carro no Brasil podem ser seriamente afetadas, uma vez que seu preço, hoje em R$ 48.990, pode retomar a casa dos R$ 60 mil com o modelo importado da Polônia – Brasil e México mantém um acordo especial para importação e exportação de automóveis isentos de impostos.

A Fiat iniciou a produção do 500 no México após adquirir o controle do Grupo Chrysler, que já contava com a planta em Toluca. Essa mesma fábrica foi a responsável pela produção do PT Cruiser, que saiu de linha justamente para ceder espaço ao compacto italiano.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!