Geely pode ter fábrica em Santa Catarina

Representantes da marca chinesa conversaram com o governador do Estado; São Paulo e Minas Gerais também estão na disputa

Geely LC | Imagem: Geely

O Estado de Santa Catarina está ficando cada vez mais "badalado" e procurado pelas montadoras de automóveis. Depois da BMW, que espera a definição do novo regime automotivo para anunciar sua fábrica naquela região, a chinesa Geely, dona da sueca Volvo, demonstrou interesse em levantar uma unidade de produção próximo ao Porto de Imbituba.

A informação foi revelada pela colunista Estela Benetti, do jornal Diário Catarinense, e ganhou ainda mais força nesta semana, quando representantes da montadora se encontraram com o governador do Estado, Raimundo Colombo.

A reunião, que contou com a presença de um intérprete, serviu apenas para apresentar propostas e ver o que o Estado tem a oferecer de incentivos caso a marca chinesa opte pela região.

Independentemente da localidade, a Geely deve investir US$ 500 milhões (aproximadamente R$ 1 bilhão) para produzir de início 60 mil carros anualmente e gerar de 1.500 empregos, número que deve saltar para 120 mil veículos e 2.400 pessoas empregadas numa segunda etapa do projeto.

Ainda não há informações sobre quais modelos devem ganhar cidadania brasileira, mas pode ser que os compactos LC e o SC5 - o primeiro com porte para brigar com Gol e Uno e o segundo com Palio e Fox - sejam os escolhidos.

Pontos favoráveis

Alguns pontos podem favorecer a escolha de Santa Catarina pela marca chinesa. Um deles é a proximidade entre o Porto de Imbituba e a BR-101 - embora a estrada esteja com as obras em ritmo lento.

Além disso, a marca também já conversou com algumas empresas que podem se tornar fornecedores de peças e que ficaram otimistas com o que encontrarão no Estado. Mas vale ressaltar que São Paulo e Minas Gerais também estão na disputa.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!