GM estuda carros mínimos

Novos projetos visam oferecer apenas o necessário para garantir economia e menos impacto ecológico

Projetos ecológicos da GM | Imagem: GM

Luxo, requinte e desperdício passaram a ser palavras proibidas dentro da General Motors. É contra isso que os novos projetos da montadora lutam agora, segundo informações divulgadas pela empresa esta semana.

Automóveis e mesmo picapes agora seguem a filosofia do “simplesmente necessário”, ou seja, apenas o que for útil nos carros será levado adiante. Isso soa como uma série de carros pobres em acabamento e em equipamentos, mas a GM diz que não.

A busca é por conceitos mais proveitosos e que agridam pouco a natureza. Os novos modelos terão menos peças, que poderão ser recicláveis. A aerodinâmica também terá papel fundamental para reduzir o atrito e tornar os motores menos gastões.

A ironia é que a montadora pensa em privilegiar os motores a diesel para suas picapes ecológicas, uma conclusão que outros mercados já chegaram há muito tempo. Enquanto isso, os americanos continuam comprando seus “caminhões” com motores V8 pouco eficientes.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!