GM investe em novos motores e prepara sucessores de Onix e Prisma

Fábrica de motores de Joinville colhe os frutos de aporte de R$ 1,9 bilhão
Fábrica de motores da GM em Joinville, Santa Catarina

Fábrica de motores da GM em Joinville, Santa Catarina | Imagem: Divulgação

A GM trabalha a passos largos para atualizar sua gama de veículos de alto volume de vendas, em especial após a investida sobretudo da Volkswagen na América do Sul e o lançamento de produtos mais modernos como a gama liderada por Polo, Virtus, dentre outros.

Para avançar em sua programação, a GM revelou nesta sexta-feira (2) os frutos de um maciço investimento de R$ 1,9 bilhão em sua fábrica de motores de Joinville (SC), que quadruplicou de tamanho, passando de 15 mil m² para 61,8 mil m². Um dos responsáveis pela expansão da unidade foi inaugurado nesta sexta, um prédio de 46.800 m² que abrigará duas linhas de usinagem de blocos, duas de cabeçotes, uma linha de sub-montagem de cabeçotes e uma linha de montagem de motores. Com isso, a produção vai saltar de 120 mil para mais de 420 mil motores ao ano.

Também serão criados cerca de 400 empregos diretos e indiretos, acrescenta a GM em comunicado. Até 2020, a fabricante norte-americana terá investido um total de R$ 13 bilhões no país.

Tamanho salto na fábrica catarinense não é por acaso, já que a GM trabalha com afinco em seu projeto GEM (Global Emerging Markets). A estratégia contempla o desenvolvimento de uma nova arquitetura pensada em conjunto com a chinesa SAIC. Dessa iniciativa, uma nova família de modelos será criada, contemplando um hatch, dois sedãs, um SUV compacto, uma picape possivelmente de porte compacto-médio como a Fiat Toro, dois monovolumes de opções com 5 e 7 lugares e outro SUV, este com visual mais esportivo e de proposta mais refinada. As informações sobre a futura gama são do Argentina Autoblog.

Com isso, os atuais Onix, Prisma, Cobalt e Spin, serão substituídos por produtos bem mais modernos no médio prazo. Vale a pena destacar que hoje o Onix nada de braçada no mercado brasileiro, assim como o Prisma conta com uma ótima participação entre os sedãs compactos.

A GM não esconde que sua divisão Mercosul se tornará uma “plataforma de exportação global”, sendo que esses novos modelos da família GEM chegarão a mercados não só da América Latina, como também África, Ásia e Oriente Médio.

Em Joinville, por sua vez, deverá ser produzido um inédito motor 1.0 com 3 cilindros, podendo receber variantes com turbo, injeção direta e até mesmo apto a operar em conjuntos eletrificados (híbridos). Além dos periféricos citados, esse propulsor contará com construção em alumínio, que proporciona menor peso e colabora com a redução no consumo. Esse propulsor foi concebido em conjunto com a Opel ainda quando a marca alemã pertencia à GM.

Ainda não há previsão, contudo, de quando os primeiros modelos dessa nova gama GEM chegarão às lojas, mas, pela movimentação da GM no Brasil e região, não vai levar muito tempo.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!