Grupo Hyundai-Kia quer vender 7 milhões de veículos em 2012

Crescimento só não é maior por conta da limitação de produção de suas fábricas

Modelo tem linhas fluídas | Imagem:

Enquanto suas rivais tradicionais sofrem com os efeitos de crises financeiras, tsunamis e problemas de qualidade, os coreanos da Hyundai e da Kia só não estão mais felizes porque não conseguem dar conta da demanda, segundo informa a Reuters.

O grupo planeja vender 7 milhões de veículos em 2012, apenas 10% a mais que o previsto para 2011. Seria mais caso suas fábricas não estivessem no limite de produção. A previsão é considerada conservadora por analistas que preveem um total de 7,2 milhões de unidades no ano que vem.

Para ampliar sua capacidade, a Hyundai começará a produzir na China em 2012 e no Brasil em 2013. Menos ousada, a Kia partirá para o terceiro turno na fábrica da Eslováquia, voltada para o mercado europeu.

Percepção de qualidade

Parte da explicação para esse crescimento acima da média - hoje as duas formam o 5º maior grupo automobilístico do mundo -, está no design ousado de seus veículos como o Veloster, Sonata, i30 (foto) e Sportage. Mas também na velocidade com que adota novas tecnologias neles. Enquanto outras marcas demoraram a adotar alguns equipamentos em alta entre os consumidores, como câmbios de dupla embreagem e faróis de LEDs, os coreanos rapidamente incluem esses itens em seus modelos.

O problema da Hyundai-Kia está na concentração da produção em território sul-coreano. Com exceção da Eslováquia e dos Estados Unidos, as duas montadoras enviam seus veículos para centenas de mercados sempre da sua matriz, que conta com vantagens econômicas (e apontadas por concorrentes como subsidiadas).

No Brasil, a recente mudança do IPI para importados pode pôr fim ao aumento na participação das duas marcas nas vendas internas. A Hyundai leva vantagem por estar construindo uma nova fábrica em Piracicaba, SP, para produzir uma nova linha de compactos, além de montar em Goias alguns utilitários com índice de nacionalização desconhecido. Já a Kia vive apenas de importação - apenas o caminhão Bongo é montado no Uruguai -  e até agora não decidiu se irá se juntar às chinesas JAC e Chery e partir para a produção nacional.

Se quiser galgar mais alguns degraus, o grupo coreano só depende dele mesmo.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!