Hyundai HB20 e Peugeot 208 no duelo da economia

Turbo ou aspirado? Os dois hatches compactos na disputa por quem quer gastar pouco combustível
Hyundai HB20 Turbo vs. Peugeot 208 1.2

Hyundai HB20 Turbo vs. Peugeot 208 1.2 | Imagem: Renato Durães

Estamos vivendo uma época bem interessante para quem se preocupa não só em gastar pouco com o carro, mas também quer ajudar a reduzir a poluição dos grandes centros e colaborar com a saúde do planeta. Nessa nobre missão, o Peugeot 208 tem merecido grande destaque após a estreia do motor 1.2 com 3 cilindros na gama, que fez dele o carro mais econômico do país entre aqueles com propulsores somente a combustão. Ele é tão frugal na hora de consumir etanol ou gasolina que obteve uma classificação no Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular até melhor do que a versão híbrida do Ford Fusion. Um feito e tanto.

No mercado nós também encontramos outra estrela quando o assunto é economia de combustível, no caso o Volkswagen up! TSI. O motor 1.0 com turbo e injeção direta confere ao hatch acelerações e retomadas melhores do que muitos carros 1.6 com a vantagem de não fazer questão de parar muito no posto de combustível. Mas e para quem quer um carro um hatch um pouco maior, com mais espaço interno e volume disponível no porta-malas?

Foi pensando nessa brecha que a Hyundai tratou de buscar uma solução mais, digamos, caseira para o HB20. Mesmo sem a inegável vantagem que a injeção direta proporciona, a ideia da montadora sul-coreana foi melhorar o desempenho da versão 1.0 com a adoção de um turbo. Algo feito localmente para não perder a onda dos turbinados. 

Como cada um anda

Digamos que, se você já andou no Volkswagen up! TSI, a sensação ao acelerar o Hyundai HB20 Turbo não chega a ser tão vibrante e alegre quando estamos ao volante do compacto da VW. É aqui que toda a sofisticação do motor alemão é sentida, bem como a falta que a injeção direta faz no propulsor da Hyundai. Curioso que a marca sul-coreana conta, lá fora, com um motor 1.0 turbo tão avançado quanto o 1.0 TSI da Volkswagen, mas pelo visto a ideia foi segurar o preço do HB20.

O HB20 Turbo faz jus ao sobrenome quando chegamos perto das 3.000 rpm, mas pelo menos de uma maneira progressiva, sem solavancos. Um ponto comum é que por falarmos aqui de blocos com 3 cilindros, o baixo nível de vibração tanto no Peugeot quanto no Hyundai é positivo.

O Peugeot 208 1.2 está longe de surpreender ao rodar, mas pelo menos sua entrega de potência e torque é mais plana. Seu comportamento lembra muito o de motores 1.4, ou seja, nas subidas mais inclinadas você terá que lidar com o câmbio na maior parte do tempo, mas nos deslocamentos urbanos, aqueles em que você está na maior parte do tempo indo de casa para o trabalho, o que o 208 1.2 entrega é suficiente.

O rodar do HB20, contudo, parece melhor resolvido. Seu câmbio manual de 6 marchas conta com engates mais amigáveis. Com um movimento pequeno da alavanca você já acha a marcha desejada, enquanto a caixa de 5 velocidades do 208 exige movimentos mais longos. Os engates também são mais “pesados” no 208 do que o visto no HB20, algo que cansa um pouco em especial quando você fica várias horas no trânsito.

A boa qualidade de montagem do HB20 também é notada na ausência de ruídos seja de acabamento como do conjunto mecânico, bem como a calibração da suspensão lida melhor com buracos e imperfeições da pista. O 208, por sua vez, entrega um tempero mais esportivo que agrada, com destaque para o volante pequeno e suas respostas rápidas.

Quando Davi bate Golias

É natural ser atraído primeiro pelo HB20. O estilo da Hyundai fala mais alto perto do visual elegante, mas discreto do Peugeot 208. O cuidado com a rodagem macia e o painel mais cuidado do carro sul-coreano também agradam, mas a verdade é que o HB20 foi projetado para brigar com carros como o Gol, Palio, Celta e o antigo Sandero.

Se a direção é correta, ainda usa assistência hidráulica. O Hyundai também não traz uma central multimídia nessa versão e mesmo assim o que há disponível é um acessório. A Peugeot, ao contrário, seguiu os passos da GM com o Onix: o 208 nasceu conectado. Ele também ousa no painel acima do volante, que é menor e conta com assistência elétrica de movimentos mais diretos.

Mas é no motor que o 208 agradou. O 1.2 aspirado pode não ser muito mais que um 1.0, mas é muito econômico, daqueles carros que você acredita piamente que o ponteiro do marcador de combustível está quebrado. Já o motor 1.0 turbo do HB20 não diz a que veio. Existe um bom torque nele, mas em rotações muito altas e de um forma não tão empolgante. Nada que se compare aos rivais nesse quesito como o up!, da Volks. E o mais grave: não corresponde na hora de reabastecer. Por isso, prefiro o Peugeot.

Ricardo Meier

 
Na convivência

A bordo do Peugeot 208 1.2 e do Hyundai HB20 Turbo é onde notamos as propostas bem distintas das escolas francesa e sul-coreana na arte de fazer carros.

O Peugeot, em especial na versão Allure testada aqui, investe muito mais em oferecer um bom padrão de acabamento para o 208. A boa mescla entre plásticos escuros e mais claros no habitáculo, o teto panorâmico e a própria proposta do painel dividido em dois níveis agrada em cheio quem gosta de satisfazer o olhar.

Já se o seu negócio é satisfazer as sensações, com boa ergonomia, baixo nível de ruído e aquela animadora virtude de encontrar tudo no lugar quando você precisa, sem dúvida você se sentirá mais à vontade a bordo do HB20. Ele também é melhor no espaço interno e no volume do porta-malas.  

 

Peugeot 208 Allure 1.2

  • Resumo

    Preço

    R$ 58.280

    Categoria

    Hatch compacto

    Rivais

    Chevrolet Onix, Hyundai HB20, VW Fox, Fiat Palio

    Vendas em 2015

    13.334 unidades

  • Mecânica

    Motor

    1.2, 3 cilindros, flex

    Potência

    90 cv (E) / 84 cv (G) a 5.750 rpm

    Torque

    13 kgfm (E) / 12,2 kgfm (G) a 2.750 rpm

    Transmissão

    Manual, 5 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    3,97 m de comprimento, 1,70 m de largura, 1,47 m de altura e 2,54 m de entre-eixos

    Peso

    1.073 kg

    Porta-malas

    285 litros

 

Com qual compacto eu vou?

Se o seu foco é escolher um carro muito econômico, bom para o dia a dia e que não lhe deixe na mão na hora de rodar por aí, sem dúvida nenhuma do Peugeot 208 1.2 é o que entrega o melhor conjunto.

Os próprios números tornam a superioridade do 208 1.2 induscutível. Segundo o Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular, o Peugeot é capaz de alcançar as excelentes médias de 15,1 km/l na cidade e 16,9 km/l na estrada, ambas com gasolina. O HB20 Turbo, com o mesmo combustível, estaciona nos 11,6 km/l e 14,3 km/l, respectivamente.

Para fugir um pouco dos dados obtidos em laboratório, durante um dos deslocamentos da equipe do AUTOO por trechos rodoviários a bordo do Peugeot 208 nós conseguimos uma ótima média de 20 km/l com gasolina! Por situações assim que o 208 1.2 se torna um carro bem especial e uma ótima opção para quem quer economizar!

 

Hyundai HB20 1.0 Turbo Comfort Style

  • Resumo

    Preço

    R$ 53.005

    Categoria

    Hatch compacto

    Rivais

    Chevrolet Onix, Peugeot 208, VW Fox, Fiat Palio

    Vendas em 2015

    109.850 unidades

  • Mecânica

    Motor

    1.0, 3 cilindros, turbo, flex

    Potência

    105 cv (E) / 98 cv (G) a 6.000 rpm

    Torque

    15 kgfm (E) / 13,8 kgfm (G) a 2.750 rpm

    Transmissão

    Manual, 6 marchas

  • Dimensões

    Medidas

    3,90 m de comprimento, 1,68 m de largura, 1,47 m de altura e 2,50 m de entre-eixos

    Peso

    1.053 kg

    Porta-malas

    300 litros

 

Recomendados por AUTOO

Youtube
Fiat Strada: qual o segredo de sucesso da picape?

Fiat Strada: qual o segredo de sucesso da picape?

5 pontos que explicam por que o veículo vende tanto até hoje
Aviação
Embraer revela seu primeiro táxi-voador!

Embraer revela seu primeiro táxi-voador!

Veículo elétrico ainda não leva pessoas e será testado em voo ainda em 2024
MOTOO
Royal Enfield Guerrilla 450: todos os detalhes e 50 fotos

Royal Enfield Guerrilla 450: todos os detalhes e 50 fotos

Conheça preço, ficha técnica, desempenho, motor cores e versões da moto confirmada para o Brasil