Indústria registra pior outubro em 5 anos, mas empregos aumentam

Limitações de componentes eletrônicos derrubam produção, alerta Anfavea
Linha de produção da VW no Brasil

Linha de produção da VW no Brasil | Imagem: Divulgação

A Anfavea, associação que congrega as fabricantes instaladas no Brasil, realizou nesta segunda-feira (8) sua apresentação e análise dos dados consolidados relativos ao mês passado.

De acordo com a entidade, em outubro foram produzidos 177,9 mil veículos no país englobando automóveis e comerciais leves, caminhões e ônibus, uma melhora de 2,6% em relação ao mês imediatamente anterior, porém uma queda de 24,8% sobre outubro de 2020.

Geralmente outubro é um mês de produção bastante elevada, para abastecer as lojas na reta final do ano, quando a procura é mais aquecida. Porém, as limitações de componentes eletrônicos fizeram com que este outubro fosse o pior dos últimos cinco anos”, detalha a Anfavea em comunicado. 

Ao menos um aspecto positivo é que o número de empregos no setor automotivo cresceu, com a abertura de 1.402 novas vagas ao longo deste ano. Ao todo o setor emprega 102.625 pessoas no Brasil, sem contar as fábricas de máquinas agrícolas e de construção, acrescenta a Anfavea. 

"Os esforços das áreas de Compras, Logística e Manufatura das montadoras merecem todos os elogios, mas infelizmente a demanda reprimida, somada ao tradicional aquecimento de fim de ano, poderá não ser atendida pela oferta", adianta o presidente da associação, Luiz Carlos Moraes. 

O abalo na produção também foi sentido de forma igual por parte dos revendedores, já que, em outubro, foram 162,3 mil veículos emplacados, 4,7% a mais que em setembro e 24,5% a menos que em outubro de 2020. Assim como verificado na produção, este foi o pior outubro dos últimos cinco anos em vendas, acrescenta a Anfavea. 

"Nossa indústria faz o possível e o impossível para garantir os empregos, sempre na expectativa de uma reação do mercado. Esperamos responsabilidade de todos os agentes públicos para que em 2022 haja uma melhoria no ambiente geral de negócios, a despeito de ser um ano eleitoral", finaliza Moraes.

Jeep Renegade na linha de produção em Goiana (PE)
Ao longo de 2021, 1.402 novas vagas de trabalho foram criadas pela indústria automotiva no Brasil 
Imagem: Divulgação