Latino-americanos: somos cidadãos de segunda classe para as fabricantes?

Estudo do Latin NCAP mostra o quanto precisamos pagar a mais por carros menos seguros que europeus e norte-americanos
Chevrolet Spark vendido nos EUA

Chevrolet Spark vendido nos EUA | Imagem: Divulgação

Uma campanha muito interessante lançada pelo Latin NCAP, que está sendo divulgada nas redes sociais com a #ExijoAutoSeguro, apela para que as montadoras ofereçam na América Latina veículos com o mesmo nível de segurança disponibilizado em mercados como o europeu e o norte-americano. Outro ponto abordado pela campanha, e que merece destaque, é a diferença e os impactos dos preços de cada modelo em regiões diferentes.

Para demonstrar tudo isso, o Latin NCAP utilizou como exemplos modelos o Kia Picanto comercializado na Colômbia e na Espanha, bem como o Chevrolet Spark oferecido no México e nos EUA. A ideia foi comparar o nível de segurança dos modelos, o preço (convertido e equalizado em dólares) e, uma conta bem importante, o quanto da renda média de cada cidadão em seus respectivos países precisa ser alocada para adquirir o automóvel utilizado como base no estudo.

Começando pelo Kia Picanto, o subcompacto da Kia tem um preço de venda ao público equivalente à US$ 11.242, enquanto, na Espanha, o mesmo produto está nas lojas por US$ 13.061. A princípio o carro na Espanha pode parecer mais caro, contudo um espanhol precisa destinar 44% de sua renda anual para adquirir o carro, enquanto para um colombiano, o impacto do custo de um Kia Picanto é de 185% da renda anual, aponta o estudo do Latin NCAP. Além disso, vale destacar que o Kia Picanto vendido na Espanha obteve uma classificação de 4 estrelas nos testes de colisão do Latin NCAP, enquanto o Picanto oferecido na Colombia não obteve nenhuma estrela! Vale destacar que o Kia Picanto vendido na Europa, até mesmo por força de lei, ainda conta com recursos como os controles de estabilidade e tração, equipamentos ausentes no Picanto oferecido tanto na Colômbia como inclusive no vendido no Brasil.

Partindo para dentro da América, vizinhos como os EUA e México apresentam um abismo de diferença entre os modelos comercializados em cada um dos países.

De acordo com a pesquisa do Latin NCAP, o modelo escolhido para comparar a situação entre os dois países foi outro hatch, dessa vez o Chevrolet Spark.

Nos EUA, o Spark é vendido por US$ 13.875. Modelo considerado de entrada para os norte-americanos, para um cidadão comprar um Spark por lá basta destinar 26% de sua renda anual. No México, por sua vez, o Spark, custa o equivalente a US$ 9.304, porém o impacto na renda de um mexicano é muito maior, da ordem de 68%.

Em termos de segurança do produto, a situação se repete em relação ao exemplo anterior, já que o Chevrolet Spark dos EUA conta com 4 estrelas na avaliação de segurança, número que cai para nenhuma estrela (!) no Chevrolet Spark colocado nas concessionárias mexicanas.

Essa diferença no que diz respeito à segurança, pode ser creditada em especial à configuração dos modelos, já que em alguns mercados eles sequer oferecem airbag duplo frontal. Além disso, dependendo do caso, também pode ocorrer diferenças construtivas, como o uso dos materiais utilizados nos painéis metálicos da estrutura do modelo. Os dois carros citados aqui servem apenas como exemplos, uma vez que a situação ocorre com muitos outros produtos de diferentes marcas. 

Logo, fica claro que os latino-americanos precisa fazer um esforço muito maior para adquirir o mesmo produto e recebemos um automóvel vem inferior ao vendido para europeus e quem mora nos EUA. É situação que precisa mudar, afinal a vida de todos precisa ter a mesma importância.