Os chineses estão mesmo com tudo. O fato de terem se tornado o maior mercado de automóveis do mundo – claro, com uma ajudinha dos americanos que viram suas vendas despencarem – tornou o país o oásis para algumas das marcas mais importantes do segmento.

Não é para menos que o Salão de Pequim, marcado para os dias 25 de abril a 2 de maio, virou palco mundial de lançamentos. A Mercedes-Benz, por exemplo, escolheu o evento para mostrar o CLS Shooting Brake Concept.

O protótipo antecipa as linhas da 2ª geração do CLS, o cupê de quatro portas que criou o segmento, mas a Mercedes preferiu mostrar uma nova proposta, de perua esportiva. Como na geração anterior, as linhas do CLS são esguias e musculosas. O teto curvo e as laterais altas também marcam presença, mas a frente adota a grade frontal do esportivo SLS AMG, que deve pautar todos os modelos mais fortes da marca alemã daqui para frente.

Faróis dinâmicos

Com o Shooting Brake, a Mercedes passará a ter um rival à altura do Série 5 Gran Turismo, da rival BMW. Ou seja, unir a dirigibilidade mais ágil de um esportivo à versatilidade das peruas.

O protótipo está equipado com motor V6 de 3.5 litros com 306 cv e cerca de 37 kgfm de torque e se enquadra no conceito BlueEfficiency que engloba vários padrões de economia de combustível e redução de emissão de poluentes tais como o sistema Start-Stop e os freios regenerativos.

Mas a novidade tecnológica trazida pelo CLS é o sistema de iluminação dinâmica, composto por luzes de LEDs. Graças à ele, o modelo tem apenas um conjunto de faróis que podem ser ajustados para cinco modos de diferentes de iluminação, desde uso numa rodovia até em trechos sinuosos, dispensando os faróis auxiliares.

A expectativa é que o CLS de nova geração seja revelado nas suas formas definitivas no Salão de Paris, em setembro.

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/