Opinião: uma vida vale R$ 200?

Segundo o Latin NCAP, este seria o preço para instalar o controle de estabilidade em um carro atual
Acidente

Acidente | Imagem: Divulgação

US$ 60 ou cerca de R$ 200. De acordo com o engenheiro Alejandro Furas, diretor técnico do Global NCAP e do Latin NCAP, esse seria o custo que cada montadora teria para equipar seus carros com o controle de estabilidade, importante recurso de segurança ativa que, em situações extremas, podem salvar a sua vida e toda sua família evitando acidentes graves a bordo de um carro.

Vale destacar que, em 2015, uma decisão do Contran tornou obrigatória a presença do controle de estabilidade nos carros comercializados no Brasil. A introdução do dispositivo será feita em duas etapas. A partir de 2020 os “modelo inéditos” ou aqueles que “passarem por grandes mudanças” já deverão sair da linha de montagem com os equipamentos. Em 2022, todos os automóveis novos que estiverem nas concessionárias deverão contar com o recurso de segurança.

“Enquanto os governos não exigirem dos fabricantes a presença dos controles de estabilidade e tração, eles estarão fazendo o jogo das montadoras, dando a elas um campo fértil para ganhar muito dinheiro vendendo o ESP a preços exorbitantes ou em conjunto com outros opcionais que não estão relacionados com a segurança do automóvel”, resume com perfeição o diretor do Latin NCAP.

Atualmente algumas montadoras esboçam uma tentativa de melhorar sua imagem nesse quesito. A Ford, por exemplo, oferece os controles de tração e estabilidade para o Ka a partir da versão SEL 1.0, no momento tabelada em R$ 50.590. O Fiat Uno, por sua vez, também traz os recursos em suas versões com o câmbio robotizado. A opção mais acessível é a Way 1.3 Dualogic, que tem preço sugerido de R$ 53.030.

Claro que os R$ 200 mencionados por Furas referem-se ao valor do equipamento para as fabricantes, porém temos que levar em consideração que o trabalho de adaptação do recurso ao modelo muitas vezes é caro e demanda um bom investimento de tempo e trabalho. Porém, é importante destacar que com o advento das plataformas modulares e os projetos ganhando conotações cada vez mais globais, muitos modelos já são concebidos para receber os controles de estabilidade e tração, bem como uma série de outros recursos de segurança, em especial para atender mercados muito mais criteriosos quando o assunto é segurança, como o europeu e o norte-americano. Nesses países, aliás, o controle de estabilidade já é um item obrigatório há um bom tempo, o que força as montadoras a criarem projetos que ao menos contemple a instalação do recurso. 

Logo, também cabe a nós, consumidores, prestigiar as marcas que já oferecem os controles de tração e estabilidade em seus modelos de série, algo que ainda ocorre somente em modelos ou versões mais caras. Além do Ford Ka e do Fiat Uno citados, modelos como o Nissan Kicks, Honda HR-V, Chevrolet Cruze, dentre outros contam com os recursos desde suas versões de entrada. Vamos torcer para que cada vez mais as montadoras não esperem por obrigações legais para pensar em salvar a vida de quem anda em seus carros.