Ricardo Meier

Comenta o mercado de vendas de automóveis e tendências sustentáveis

Polestar, a marca de elétricos da Volvo que já vale quase o dobro da Renault

Subsidiária criada pela marca sueca e Geely há apenas quatro anos deve abrir capital nesta semana com a ambição de concorrer com a Tesla, de Elon Musk

Na Inglaterra é possível cruzar com certa frequência com um compacto fastback que lembra um modelo da Volvo, mas traz como logomarca uma estrela estilizada de quatro pontas.

O modelo em questão traz um visual esportivo e roda de forma silenciosa por onde passa. Sim, estou falando do Polestar 2, o veículo, digamos, mais popular da marca de elétricos criada pela Volvo e a Geely em 2017.

Apesar da fundação quatro anos atrás. a Polestar existe há bem mais tempo. Sua origem envolve o automobilismo como Polestar Racing, equipe que disputava campeonatos de turismo na Suécia e acabou fechando uma parceria com a Volvo em 2009. Em 2015, a montadora transformou a Polestar em uma linha esportiva de seus carros até que dois anos depois a estratégia foi modificada para o atual formato.

No Reino Unido, o Polestar 2 custa quase 40 mil libras atualmente (pouco mais de R$ 290 mil em valores atuais) tem ganhado espaço no ainda restrito mercado de veículos 100% elétricos.

Com tecnologia bastante avançada, que inclui uma central multimídia feita pelo Google, diversos sistemas de assistência à direção e som apurado, o Polestar 2 é vendido em três versões, com um ou dois motores elétricos.

Na versão básica, o modelo tem autonomia de 440 km e potência de 221 cv, já na intermediária a potência sobe para 228 cv e a autonomia, para 540 km. Em ambos, o 0 a 100 km/h é feito em apenas 7 segundos.

A versão mais luxuosa traz tração integral e dois motores com potência combinada de 402 cv. O alcance sem recarga é um pouco menor que o modelo do meio, de 480 km, mas o Polestar 2 pode ir de 0 a 100 km/h em 4,5 segundos – o preço nesse caso é um pouco maior, de 45,9 mil libras (R$ 335 mil, aproximadamente).

A Polestar produzirá um SUV elétrico nos EUA, o Polestar 3
A Polestar produzirá um SUV elétrico nos EUA, o Polestar 3
Imagem: Divulgação

SUV elétrico a caminho

Somente no Reino Unido já circulam 3 mil unidades mas, segundo o CEO da empresa no país, Jonathan Goodman, somente neste ano 4 mil veículos serão emplacados no mercado. O executivo mostra otimismo em entrevista à Autocar ao afirmar que o problema da marca se resume apenas ao fornecimento já que a demanda tem surpreendido as expectativas.

Tanto assim que a Polestar deve anunciar nesta semana a abertura de seu capital. Segundo a Reuters, a fabricante de elétricos deve receber investimento de cerca de US$ 20 bilhões do fundo ores Guggenheim.

Trata-se de um valor de mercado que equivale ao dobro do tradicional grupo Renault – e que já flerta com elétricos puros há mais de uma década.

O otimismo com a Polestar não é sem razão. A fabricante sueca, que recebeu uma injeção de capital de US$ 550 milhões neste ano, está prestes a colocar no mercado um SUV 100% elétrico, o Polestar 3.

O novo automóvel, que terá um porte bastante grande, dividindo plataforma com o XC90, da Volvo, ainda não foi revelado pela marca. Mas sua produção ocorrerá nos Estados Unidos, na fábrica que a montadora sueca possui na Carolina do Sul.

A despeito de a própria Volvo já estar em vias de eletrificar sua linha de veículos, fato é que a Polestar se encontra numa posição privilegiada, que permite a ela ousar competir com ninguém menos que a Tesla, do bilionário Elon Musk.

A boa aceitação dos seus dois primeiros modelos (além do Polestar 2, há o pioneiro sedã híbrido Polestar 1) e o iminente anúncio de investimentos devem fazer da marca sueca mais uma estrela do mercado automobilístico nos próximos anos, como já denuncia seu logotipo.

Veja outras colunas

Kia registra patente do novo Sportage europeu no Brasil

25/01/2022 07h15

SUV que começa a ser vendido no Velho Continente é menor que modelo destinado aos EUA. Versão híbrida utiliza motor 1.6 turbo que atua junto a propulsor elétrico

Onix de volta à liderança em 2022? Ainda não

20/01/2022 08h20

No início de janeiro, a Strada e os SUVs Renegade e Compass estão no topo de ranking de vendas enquanto o Peugeot 2008 já superou vendas de dezembro

China vendeu 100 vezes mais carros elétricos que o Brasil

17/01/2022 12h30

Em 2021, foram 3,52 milhões de unidades, número 80% maior que a soma de todos os veículos leves emplacados no Brasil no ano passado, poluentes ou não