Equipamentos, status, conforto, potência, design e valor de revenda – não necessariamente nessa ordem – são os principais requisitos exigidos pelos consumidores. Mas poucos se interessam em saber quais os valores de reparabilidade de um veículo – ou seja, em caso de acidentes, quão cara ficará a conta? Para quem considera esse fator importante, o Centro de Experimentação e Segurança Viária do Brasil divulgou o ranking 2011 de sua pesquisa sobre o tema.

Realizado desde 2005 pelo Cesvi, o CAR Group classifica com notas de 10 (melhor) a 60 (pior) os carros disponíveis no mercado. O veículo com melhor índice de reparabilidade classificado em 2011 foi o Volkswagen Polo Sedan, com nota 11.

Entre os hatches compactos, o Volkswagen Fox repetiu a nota 12 obtida em 2010, mas agora divide a primeira colocação com Citroën C3 e Ford Ka. Na segunda colocação, destaque para o JAC J3, com nota 13. Fiat Bravo, com nota 18, estreou no CAR Group já na primeira colocação, enquanto o Citroën C4 Pallas bateu os concorrentes ao tirar 16.

Na categoria perua, o Renault Mégane Grand Tour melhorou sua nota, que subiu de 19 para 16. Entre as compactas, o Volkswagen SpaceFox piorou (10 em 2010 contra 16 em 2011), mas manteve a primeira colocação. S10 e Saveiro foram as melhores representantes entre as picapes médias e compactas, com notas 19 e 17, respectivamente. As minivans C4 Picasso e C3 Picasso, ambas da Citroën, alcançaram a liderança em suas categorias com notas 19 e 17, na ordem.

Rodrigo Mora

|

Veja mais notícias da marca