Primeiro Volvo 'chinês', XC90 custará a partir de R$ 319 mil

Nova geração do SUV de luxo é a primeira feita pela marca após a compra pela empresa chinesa Geely. Primeiros exemplares serão entregues em agosto

Volvo XC90 2016 | Imagem: Divulgação

O primeiro veículo 100% da nova fase da Volvo (após ser comprada pela montadora chinesa Geely) chegará ao Brasil em agosto. Trata-se da segunda geração do SUV de luxo XC90. Ele será vendido em duas versões, Momentum, por R$ 319 mil, e Inscription, por R$ 363 mil.

O XC90, no entanto, já pode ser reservado em uma das 29 concessionárias da marca sueca. Ele virá equipado com um motor a gasolina de 320 cv, câmbio automático de oito velocidades e tração integral.

A versão de entrada traz vários itens, entre ele central multimídia de 9 polegadas sensível ao toque, sistema de som premium com dez alto-falantes, sistema de navegação Sensus Navigation Pro e o ar-condicionado digital com quatro zonas individuais de refrigeração.

Ambas as versões possuem sete assentos e sistemas como o controle de cruzeiro adaptativo e City Safety, que detecta carros, pedestres e ciclistas inclusive no escuro. A novidade é que o SUV também freia automaticamente em cruzamentos, caso perceba um carro vindo em sentido contrário.

O XC90 Inscription tem ainda suspensão a ar com diferentes regulagens, rodas aro 20 (contra 19 do modelo mais ‘barato’) e sistema de som Bowers & Wikins, com 1.400 watts de potência e 19 alto-falantes.

Projeto próprio

O novo XC90 é o primeiro projeto iniciado do zero desde que a Volvo trocou de mãos, deixando de ser uma marca da Ford e sendo assumida pela Geely. O SUV utiliza uma nova plataforma batizada com a sigla SPA, que significa uma base capaz de ser adaptada a várias necessidades. O visual, com linhas retas e sóbrias, exibe faróis de LEDs em todo o conjunto.

O motor Drive-E, que já equipa outros modelos da Volvo, também é exclusivo da montadora sueca. Apesar disso, em breve todos os veículos da marca sueca compartilharão seus componentes com os carros da Geely, a fim de elevar a qualidade dos carros chineses.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!