Sucessor do C4 Pallas chega no 2º semestre ao Brasil

Sedã C4 Lounge teve produção confirmada na Argentina. Modelo é o primeiro a adotar a nova geração do C4

Citroën C4L, que deve se chamar C4 Lounge no Brasil | Imagem: Citroën

A Citroën confirmou a produção do novo sedã médio C4L na Argentina a partir do 2º semestre. O modelo é o sucessor do C4 Pallas e deverá ser batizado como C4 Lounge. Apesar de ser a primeira vez que a marca francesa fala do assunto oficialmente, a vinda do sedã já era aguardada há algum tempo.

A razão é que o C4 da nova geração compartilha várias peças com a dupla 308 e 408, da Peugeot, que foram lançados há pouco tempo. No grupo PSA, que reúne as marcas Peugeot e Citroën, há sempre um escalonamento nos lançamentos. No caso dos veículos compactos, a preferência coube à Citroën que lançou em primeira mão a nova geração do C3 e os inéditos C3 Picasso e Aircross. Somente este ano a Peugeot utilizou essa base para fazer o 208.

Apesar disso, o C4 Lounge demorou um pouco a chegar. A razão é que o C4 Pallas esgotou seu leque de novidades e já há um bom tempo virou apenas um figurante no setor, o que contrasta com o início da carreira do sedã em 2008 quando chegou a ser o 4º mais vendido do mercado e até incomodou o Vectra, da GM.

Agora a situação é diferente. O C4 Lounge encontrará uma categoria inchada com três protagonistas, o Corolla, o Civic e o Cruze. O Toyota, no entanto, deve mudar em 2014 e, com isso, manter a liderança nesse segmento.

As armas do C4 Lounge serão um design mais esportivo e convencional. Em vez da traseira longa, o novo Citroën é mais curto e com linhas mais retangulares. O interior deixa de lado o painel com mostradores digitais centrais e usa o “cluster” à frente do motorista. O porta-malas também perdeu espaço, caindo para 440 litros, o que é razoável.

Por questões de escala de produção, o C4 Lounge deverá ter as mesmas opções de motor e câmbio do 408, ou seja, segue o 2.0 16V atual na versão de entrada juntamente com transmissões manual e automática de 4 marchas, e introduz-se uma versão topo de linha com o motor 1.6 THP, com turbo e injeção direta, e o câmbio automático de seis marchas.

Se o C4 sedã muda de geração em 2013 a versão hatch deve demorar um pouco mais. O C4 atual foi lançado há pouco tempo, o que deve exigir da Citroën mais um pouco de esforço para viabilizá-lo. Quem sabe, em 2015 se as coisas não melhorarem.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!