Apesar de pouco expressivo nas vendas, com apenas 97 unidades emplacadas em 2016, o Suzuki Swift sempre foi uma opção bem interessante de hatch para aqueles que gostam de um bom comportamento dinâmico. O preço, é claro, sempre foi um fator que não contribuiu para que sua participação no mercado decolasse. Até o momento, o modelo era tabelado em um intervalo que ia de R$ 76.490 até R$ 83.990, um valor elevado demais para a categoria.

A partir de agora quem visitar o site da Suzuki no Brasil já não vai ver o modelo figurando entre as opções de modelos da marca por aqui. Se você quiser correr, talvez ainda dê tempo de encontrar as últimas unidades nas concessionárias e pedir um bom desconto. O motivo é que a importação do modelo foi suspensa aguardando a chegada da nova geração do modelo.

A novidade foi revelada no fim de 2016 no Japão e, em março deste ano, a variante europeia do Swift estreou no Salão de Genebra. Procurada pelo AUTOO, a Suzuki informou que ainda não há previsão para a chegada do novo Swift ao país, contudo a importação do modelo é dada como certa. 

Segundo a Suzuki, o novo Swift entrega mais espaço interno e agora conta com 3,84 m de comprimento (10 mm mais curto), 1,73 m de altura e 1,49 m de altura nas configurações com tração dianteira. O grande, segundo a Suzuki, foi o aumento de 20 mm no entre-eixos para melhorar a acomodação dos passageiros. O porta-malas também cresceu sensivelmente e agora entrega 254 litros de capacidade.

Sob o capô, o novo Swift traz propulsores bem interessantes. O primeiro deles é o 1.0 com 3 cilindros e a tecnologia Boosterjet, que agrega a sobrealimentação por turbo e injeção direta de combustível. Esse propulsor entrega 111 cv de potência e 17,3 kgfm de torque.

Além do 1.0 Boosterjet, o Swift terá como opção o motor 1.2 com a tecnologia Dualjet, composta por dois bicos injetores. Segundo a Suzuki, ao posicionar os injetores bem próximos das válvulas de admissão é possível realizar uma mistura mais próxima do ideal, resultando em melhor desempenho e menor consumo. O 1.2 Dualjet entrega 90 cv e 12,2 kgfm de torque, suficientes, segundo dados da Suzuki, para levar o hatch de 0 a 100 km/h em 11,9 segundos. Com o motor 1.2 Dualjet, o Swift pode receber a tração integral AllGrip.

Tanto o 1.0 como o 1.2 podem receber o SHVS. O recurso é basicamente um motor/gerador elétrico que confere ao Swift um sistema parcialmente híbrido (mild hybrid) de propulsão. Ele recupera a energia gerada nas frenagens e a direciona para as acelerações e retomadas do modelo, ajudando a melhorar o desempenho e poupando combustível.

Melhor equipado, o Swift recebeu equipamentos de ponta, como alerta de colisão com frenagem automática, assistente de permanência em faixa e farol alto automático. Além disso, o novo Swift também conta com um visor de 4,2” no painel que além dos dados do computador de bordo oferece informações como força G, aceleração e frenagem, dentre outros.

Ainda não sabemos quais versões a Suzuki vai importar ao Brasil. Nós apostamos que colocar as fichas na configuração 1.0 turbo será uma decisão mais interessante. 

 
 
Suzuki Swift 2018
 
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
 
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
 
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
 
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
 
Suzuki Swift 2018
Suzuki Swift 2018
 
 

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/

Veja mais notícias da marca