Sucessor do GLK, modelo que contava com um visual um tanto quanto exótico devido às linhas retas de sua carroceria, o Mercedes-Benz GLC chegou para posicionar a marca alemã de uma forma mais competitiva no segmento de SUVs médios premium.

Ao lado da carroceria Coupé, as duas opções do GLC chegaram ao Brasil em 2016 com um bom conjunto mecânico, encarando com competência seus principais rivais por aqui.

A convite da Mercedes-Benz, o Autoo avaliou o GLC em sua configuração de entrada, no caso a 250 4Matic Highway, que conta com o motor 2.0 turbo de 211 cv e 35,7 kgfm de torque e, como o nome da versão indica, a presença do sistema de tração integral tradicional da marca. O câmbio é o automático de 9 marchas, que mostra-se muito bem calibrado com todo esse conjunto e permite ao GLC 250 alcançar médias de 8,5 km/l na cidade e 11 km/l na estrada, sempre usando gasolina, único combustível aceito pelo SUV.

Em termos de desempenho, temos o nível de comportamento que se espera de um modelo premium, com aceleração de 0 a 100 km/h na casa de 7,5 segundos e velocidade máxima de 222 km/h.

Como é típico em um carro alemão – e esperado em um carro de R$ 270.900 – temos uma condução com tempero esportivo que certamente vai agradar quem busca um comportamento ao volante refinado. A direção é leve, porém ligeiramente mais rápida do que estamos acostumados em muitos SUVs, enquanto os pedais do acelerador e do freio são precisamente calibrados.

O GLC 250 Highway agrada bastante na hora de dirigir e o motor 2.0 turbo está mais do que suficiente para atender a maior parte do uso (existe também a opção AMG com um poderoso 4.0 V8 sob o capô...). O câmbio automático merece elogios pela rapidez nas trocas e suavidade no funcionamento, enquanto a tração integral resulta em ganhos consideráveis na segurança ativa e também naqueles raros momentos em que você visitar algumas vias não pavimentadas.

 
 
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
Mercedes-Benz GLC 2016
Mercedes-Benz GLC 2016
 
 

A suspensão independente nos eixos dianteiro e traseiro privilegia o conforto e também favorece o sistema de tração ao manter as 4 rodas sempre em contato com o piso, mesmo em situações mais extremas no fora-de-estrada.

Por dentro, encontramos espaço suficiente para 4 adultos a bordo do SUV, sendo que a cabine só é um pouco prejudicada pelo túnel central traseiro elevado demais, o que complica a acomodação de um 5º passageiro. O porta-malas para 550 litros do GLC, que conta com abertura elétrica para a tampa do compartimento, está de acordo com a proposta familiar do SUV.

Na cabine, obviamente encontramos o bom nível de materiais e montagem, porém só não nos agradou muito a necessidade de operar o sistema da central multimídia por meio de controles físicos. Claro que é uma escolha da marca, mas certamente a oferta de uma tela sensível ao toque tornaria a operação da central muito mais fácil, rápida e prática. Leva um certo tempo para você se acostumar com o aparelho, mas uma vez que você pega o jeito encontrará uma central completa, oferecendo os principais sistemas de espelhamento para smartphones, câmera de ré, entre outros recursos.

Considerando seus números de mercado, o Mercedes-Benz GLC está colecionando uma boa participação na categoria, mas hoje em dia, se você está mais aberto a outros modelos ou não faz tanta questão da marca alemã, talvez seja bem interessante considerar a compra de um Volvo XC60

Colocando os dois SUVs lado a lado, o Volvo XC60 transparece a sensação de ser um carro mais moderno em relação ao GLC 250, em especial quando analisamos a parte interna.

Partindo de R$ 245.950 na versão de entrada Momentum, valor bem mais convidativo que o do GLC 250, o Volvo XC60 2019 ainda tem a vantagem de contar com o sistema de condução semiautônoma Pilot Assist de série. Mecanicamente, o Volvo também conta com um conjunto muito similar ao GLC 250, oferecendo também motorização 2.0 turbo e tração integral. Apenas o câmbio automático presente no XC60 tem uma marchas a menos, totalizando 8 velocidades.

Em resumo, se você deseja um SUV médio na faixa de R$ 250.000 a R$ 300.000 e não abre mão da marca Mercedes-Benz, o GLC 250 entregará tudo o que se espera de um modelo nesse segmento, portanto deve figurar como uma opção de compra sem qualquer restrição. Já se você está com o horizonte de marcas e modelos mais aberto, o Volvo XC60 é a alternativa que vai lhe entregar um custo-benefício bem mais favorável sem ter que abrir mão de nada em termos técnicos, mecânicos ou construtivos. Muito contrário, o SUV da marca sueca entrega até mais em termos de equipamentos e tecnologia embarcada. 

Ficha técnica

Mercedes-Benz GLC 2019 250 Highway 2.0 16V gasolina automático integral 4p
Preço R$ 270.900 (12/2018)
Categoria SUV médio
Vendas em 2017 813 unidades
Motor 4 cilindros, 1991 cm³
Potência 211 cv a 5500 rpm (gasolina)
Torque 35,7 kgfm a 1200 rpm
Dimensões Comprimento 4,656 m, largura 1,89 m, altura 1,644 m, entreeixos 2,873 m
Peso em ordem de marcha 1735 kg
Tanque de combustível 66 litros
Porta-malas 550 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/