Teste: Volkswagen Golf Variant Comfortline 1.4 TSI

Alternativa aos SUVs, station derivada do Golf é uma opção que vale a pena você conhecer
Volkswagen Golf Variant 2016

Volkswagen Golf Variant 2016 | Imagem: Divulgação

Hoje é inegável: se estamos falando de carros com preço acima de R$ 70.000, a maioria dos consumidores trata logo de começar sua pesquisa pelos SUVs. Minivans? Hatches médios? Stations? Parece que não existe mais espaço para esses modelos no Brasil, sentimento confirmado pelo número de vendas cada vez mais incipiente dessas carrocerias por aqui.

Muito discreta no mercado e raramente vista nas ruas, se você precisa de um carro familiar e tem um orçamento mais folgado, na casa dos R$ 100.000, existe uma opção que você precisa conhecer antes de bater o martelo por um SUV. Trata-se do Volkswagen Golf Variant, “perua” derivada do hatch médio que compartilha com ele vários atributos, começando pela ótima dirigibilidade.

Uma das poucas marcas que ainda investem nas station wagon por aqui, com uma gama que também contempla a SpaceFox e a Space Cross, a Volkswagen armou uma estratégia clara para o Golf Variant: apresentar o modelo como uma opção para quem precisa de um carro espaçoso e versátil, mas busca um “algo a mais” em termos de comportamento dinâmico, acabamento e conjunto mecânico.

E tudo isso o Golf Variant cumpre muito bem! Começando pelo interior, a cabine acomoda quatro adultos com conforto. O grande problema, por dizer assim, vai para o túnel central traseiro muito elevado, que compromete colocar um terceiro passageiro no banco de trás. Mesmo assim, quem se acomodar por ali encontrará uma boa área livre para cabeça, tronco e pernas. O mesmo pode ser dito para os passageiros na dianteira.

Olhando para trás surge o grande trunfo de uma station, no caso do Golf Variant o ótimo porta-malas com capacidade para 510 litros de bagagem. Por ali fica fácil acomodar objetos grandes como uma bicicleta ou pranchas, isso se falar em carrinhos de bebê e tantas outras coisas que fazem parte da realidade de uma família. Nesse aspecto o Golf Variant não fica devendo em nada para qualquer SUV compacto.

Outro ponto favorável ao Golf Variant vai para o ótimo padrão de montagem e construção do interior. Os materiais utilizados aparentam boa qualidade e, mesmo na unidade Comfortline testada sem o revestimento interno de couro, o tecido usado na forração de bancos e laterais das portas é condizente com a categoria do modelo. Você raramente nota ruídos a bordo do Golf Variant e, nesse assunto, a suspensão do modelo parece melhor resolvida do que a presente no Golf hatch. Talvez por ser mais robusta ao ter que lidar com uma carroceria maior e a possibilidade de transportar mais peso, o conjunto McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira não se intimida com buracos e imperfeições na via, absorvendo esses problemas o máxmo que pode e sem incomodar os passageiros. O Golf Variant, assim como o hatch, só pede atenção para não raspar com frequência a dianteira. Nesse ponto, os ângulos de ataque e saída de um SUV compacto e a maior altura livre em relação ao solo permitem uma condução mais relaxada.

Só que essa proximidade ao solo é que proporciona ao Golf Variant colocar um sorriso no rosto do motorista quando você tem uma boa estrada a frente para desfrutar do modelo. Tudo começa com a ótima posição de dirigir e as regulagens do banco e coluna de direção com amplitudes generosas. Você se acomoda facilmente e encontra a melhor posição de dirigir rapidamente a bordo da station, atualmente importada do México.

Direção e suspensão brindam o motorista com respostas mais voltadas à esportividade. Ao menor toque no volante, o carro assume a direção desejada de forma rápida. A suspensão, por sua vez, controla muito bem a carroceria. Você praticamente não nota rolagens laterais mesmo em curvas mais fechadas e você só começará a perder o atrito das rodas com o chão se provocar demais o carro. No uso comum, o Golf Variant é exemplar e ainda conta com o olhar atento dos controles de tração e estabilidade para evitar quaisquer problemas.

Outro ponto muito favorável ao Golf Variant, em especial considerando que você vai levar toda sua família a bordo dele, reside nos 7 airbags de série, além dos controles de tração e estabilidade e recursos como o bloqueio eletrônico do diferencial para aprimorar o controle dinâmico. Por compartilhar o projeto moderno da sétima geração do Golf, baseado na elogiada plataforma modular MQB, podemos esperar do Golf Variant o mesmo patamar de segurança estrutural elevado encontrado no hatch, o qual é atualmente o carro mais seguro fabricado no Brasil de acordo com os novos parâmetros de teste do Latin NCAP.

O motor 1.4 TSI, com turbo e injeção direta, completa os vários atributos do Golf Variant. Com 150 cv e 25,5 kgfm de torque, ele é uma referência em termos de eficiência. Capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 9,1 segundos e atingir 207 de velocidade máxima, o Golf Variant ainda registra ótimas médias de consumo de 10,9 km/l na cidade e 13,8 km/l na estrada, ambas com gasolina. Nesse ponto o start-stop ajuda bem a manter a station longe do posto de combustível. Com acelerações e retomadas vigorosas, o 1.4 TSI poderia entregar respostas ainda melhores se trabalhasse em conjunto com a transmissão de dupla embreagem e 7 marchas presente nos primeiros Golf importados da Alemanha que foram comercializados no Brasil. Em nome da robustez e para controlar os ruídos, a caixa de 6 marchas não deixa de cumprir seu papel, mas ela não consegue se equiparar em termos de rapidez com a transmissão que ficou para os alemães.

Mesmo carregado e até mesmo subindo uma serra, por exemplo, o Golf Variant não se sentirá abalado qualquer que seja os deslocamentos que você precise realizar com ele.

Como você e eu estamos cansados de saber, não existe almoço de graça e é claro que todo esse conjunto do Golf Variant exige um bom fôlego financeiro. Você vai precisar de no mínimo R$ 97.020 para estacionar a station na garagem, valor da versão Comfortline como a avaliada aqui. Com opcionais como o teto solar elétrico e “pacote Exclusive” (chave presencial, sensores de luz e chuva, central multimídia com navegador, dentre outros) o valor pode atingir R$ 114.913. Uma opção mais interessante é partir para a configuração Highline, que já chega às lojas com o que se espera de um carro nessa faixa de valor como o revestimento interno de couro com bancos aquecíveis por R$ 107.980. Com todos os opcionais, o preço do Golf Variant Highline atinge elevados R$ 145.289. Só um dos pacotes, o “Premium”, custa R$ 29.677, mas traz consigo recursos como o assistente de estacionamento, controlar de velocidade adaptativo (ACC), farol alto automático, faróis xenon, dentre outros.

Vale a pena a compra? Talvez no futuro você tenha alguns problemas de liquidez, já que a carroceria tende a ser cada vez menos procurada, mas o Golf Variant sem dúvida nenhuma vale a compra se a onda dos SUVs não faz muito a sua praia. Ao conciliar ótimo espaço interno e um prático porta-malas como o comportamento típicamente mais esportivo das stations de porte médio ou superior, o Golf Variant reúne uma proposta cada vez mais singular daqui para frente. O custo do modelo é alto, mas ele compensa com sua ótima dirigibilidade, conjunto mecânico avançado e eficiente e bom nível de acabamento. É um modelo que sem dúvida nenhuma lhe trará bons momentos ao volante. 

 
 
Volkswagen Golf Variant 2016
 
Volkswagen Golf Variant 2016
Volkswagen Golf Variant 2016
Volkswagen Golf Variant 2016
 
Volkswagen Golf Variant 2016
Volkswagen Golf Variant 2016
Volkswagen Golf Variant 2017
 
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
 
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
 
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
 
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
 
Volkswagen Golf Variant 2017
Volkswagen Golf Variant 2017
 
 

Ficha técnica

Volkswagen Golf Variant 2017 Comfortline 1.4 16V flex automático 4p
Preço R$ NaN (11/2019)
Categoria Familiar médio
Motor 4 cilindros, 1395 cm³
Potência 150 cv a 4500 rpm (gasolina)
Torque 25,5 kgfm a 1500 rpm
Dimensões Comprimento 4,562 m, largura 1,799 m, altura 1,468 m, entreeixos 2,635 m
Peso em ordem de marcha 1327 kg
Tanque de combustível 50 litros
Porta-malas 605 litros
Veja ficha completa