Parece que apenas a antiga direção da General Motors acreditava na viabilidade de suas inúmeras marcas. Após a crise financeira e a entrada do governo do presidente Barack Obama na gestão da montadora, várias dessas marcas foram colocadas à venda, mas apenas a Hummer foi efetivamente negociada.

A Opel possuía vários interessados incluindo a Fiat, mas era justamente a única filial que a matriz resistia em se desfazer e com razão – o peso estratégico da Opel poderia virar o jogo a favor dos seus adversários.

Pontiac, Saturn e Saab, no entanto, terão um destino mais triste. A primeira desde o princípio foi considerada carta fora do baralho exceto se houvesse um improvável comprador que nunca apareceu. A Saturn esteve perto de passar para as mãos da Penske, mas o negócio miou antes de ser assinado.

E agora a Saab foi declarada “morta” pela GM. As negociações começaram com a Koenigsegg, a marca de esportivos exóticos da mesma Suécia de origem da Saab, mas o acordo não prosperou. Entrou em cena, então, a Spyker, uma congênere holandesa da Koenigsegg, mas hoje a GM revelou que as discussões levariam muito tempo e o que a marca sueca tem de menos é justamente o tempo. Como consolo, a montadora vendeu o direito pela tecnologia do powertrain dos modelos 9-5 e 9-3 para a chinesa BAIC.

Com isso, a Saab sairá de cena deixando quase 4 mil trabalhadores desempregados e 1 100 concessionários sem produtos. Em suma, as três certamente teriam sido fechadas há mais tempo não fosse o ex-presidente da GM Rick Wagoner que manteve o quanto pôde a ineficiente e dispendiosa estrutura da ex-montadora número 1.

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/

Veja mais notícias da marca