Volkswagen apresenta o novo Santana

Sedã é sucesso absoluto de vendas na China; modelo deve chegar ao Brasil em 2013

Novo Volkswagen Santana | Imagem: VW

O Santana está de volta! A Volkswagen apresentou na noite dessa segunda-feira (29) em Wolfsburg, na Alemanha, a segunda geração do clássico sedã que foi oferecido no mercado brasileiro entre 1984 e 2006 e que depois se tornou sucesso absoluto de vendas na China, com mais de 4 milhões unidades comercializadas.

Reformulado de uma ponta a outra, o sedã passou por sua primeira mudança visual realmente expressiva em 29 anos de produção. A marca também mudou parte da proposta do Santana, que passou do segmento médio para o ramo da nova safra de sedãs compactos “de porte avantajado”, como são, por exemplo, Renault Logan e Chevrolet Cobalt, futuros rivais do novo três volumes da VW, que estreia em 2013 na China.

O lançamento também é interessante para o mercado brasileiro, onde a categoria na qual foi inserida, fervilha de novidades e, principalmente, compradores. A divisão nacional da Volks, porém, ainda não confirma a vinda do sedã para o Brasil. Mas ele vem sim! Conforme apurou o AUTOO, o novo Santana começa a ser produzido no País no segundo semestre de 2013.

A VW ainda esconde o jogo, mas o Santana faz parte do plano de investimentos de R$ 342 milhões, anunciado em julho deste ano, para expansão e modernização das fábricas de São Bernardo do Campo (SP) e São José José dos Pinhais (PR).

O que o novo Santana tem?

Comparado ao primeiro Santana, aquele com design “quadradão” e que ainda é vendido na China, a nova geração representa uma verdadeira revolução para o carro. O sedã deixou o visual dos 1980 e agora segue a filosofia visual mundial da VW, com detalhes sofisticados e novas técnicas de desenho, que aproveitam melhor o espaço da cabine.

Segundo a montadora, a distância entre-eixos do carro é de 2,60 metros e o porta-malas comporta 480 litros de volume de bagagem, números semelhantes aos do Cobalt. A VW também já avisou que vai oferecer o novo Santana na China nas versões Trendline, Comfortline e a topo de linha Highline, que terá recursos como freios ABS, controle eletrônico de estabilidade, ar-condicionado automático e teto solar.

O Santana chinês será oferecido com motores conhecidos do público brasileiro. A VW preparou para o carro versões dos blocos aspirados 1.4 de 90 cv e 1.6de 110 da família EA 211, usados na Kombi, Gol e Voyage, entre outros modelos para o mercado nacional. De acordo com números da marca, o modelo com menor cilindrada tem consumo médio de 16,9 km por litro de gasolinas, enquanto o segundo faz 16,6 km/l.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!