VW ID.4: SUV elétrico marca o início de uma nova era. Mas será que vale a pena?

Modelo está disponível no Brasil apenas no plano de assinatura, com prazo máximo de 24 meses
Volkswagen ID.4

Volkswagen ID.4 | Imagem: Carlos Guimarães

Parado dentro do estacionamento do supermercado, aparece um sujeito, bate no vidro do Volkswagen ID.4 e me pede para abrir a janela. Olho para ele e aciono o botão na porta. Enquanto isso, ele dispara: "Que carro é esse?" Respondo que é um o SUV elétrico e mais alguns detalhes rápidos e ele logo retruca:  "Só elétrico, não é híbrido? Ah, então  tá, obrigado". E vai embora. 

VEJA TAMBÉM:

Pois é, pelo menos boa parte dos brasileiros ainda torce o nariz para SUVs 100% elétricos por ainda não termos infraestrutura adequada para poder rodar por aí sem se preocupar com a recarga das baterias, principalmente nas estradas. 

De qualquer forma, no caso do ID.4, o cidadão que ficou curioso em saber mais detalhes do carro, talvez atraído pelo belo visual que inclui faróis e lanternas de LED, alta linha de cintura e rodas de aro 21, talvez  teria perdido ainda mais o interesse se eu tivesse tempo de dizer que o SUV elétrico da Volkswagen está disponível no Brasil apenas por um plano de assinatura que prevê um prazo máximo de 24 meses e R$ 9.990 mensais. 

Agora, se mesmo assim, você achou interessante, vamos em frente com a avaliação de uma semana que fiquei com o ID.4 na garagem. Logo de cara, digo que o SUV elétrico é um dos modelos da categoria mais agradáveis de dirigir, com tração apenas traseira, onde fica o motor de 204 cv, deixando a frente livre para o bom funcionameno do sistema de direção. 

Como todo elétrico, acelere e terá toda força disponível de maneira imediada. São consideráveis 31,6 kgfm, o suficiente para ir de 0 a 100 km/h em medianos 8,5 segundos e fazer ultrapassagens sempre ágeis e com bom nível de segurança. Mesmo com rodas de aro 21 montadas em pneus 235/45R, o Volkswagen ID.4 se mostrou um carro confortável e bem acertado, embora um pouco mais firme do que deveria para aqueles que priorizam o conforto. 

VW ID.4
VW ID.4 tem visual arrojado e uma série de recursos como o acionamento da tampa do porta-malas por controle remoto
Imagem: Carlos Guimarães

Ajustar a posição de dirigir ideal é fácil pelos comandos elétricos dos bancos revestidos de couro e Alcantara, o que dá um toque de esportividade e requinte. O interior é bem arejado e com aspecto futurista, ainda mais com o volante branco, assim como o molde do cluster e do botão no  alto do painel que comanda o câmbio.  

Existem comparativamente poucos botões, porque a maioria das funções são operadas por meio da tela central. Você também pode usar sua voz para controlar algumas delas, como o sistema de som, a cortina do teto e o GPS (que funciona apenas conectado ao celular, já que não dá acesso à internet nativo), mas, como acontece com muitos sistemas desse tipo, isso possa apresentar falhas.

Um SUV high-tech

Volkswagen ID.4
Assim como a unidade avaliada, o VW ID.4 está disponível comn volante multifuncional branco e acabamento caprichado
Imagem: Divulgação

No nosso dia a dia, o comado de voz falhou algumas vezes, sempre se comunicando em português de Portugal, com sotaque e tudo. Por outro  lado, outros  itens tecnológicos funcionaram a contento, como os faróis inteligentes IQ. Light, que iluminam conforme uma série de variáveis, como velocidade e a trajetória do veículo e ainda fazem as vezes dos faróis de neblina, quando necessário. 

Bom também é o espaço no banco traseiro e no porta-malas de 543 litros, com abertura e fechamento por controle remoto. Há conforto de sobra para cinco ocupantes, inclusive para quem vai sentado no meio. O que também merece elogio é o sistema de som de alta-fidelidade, o que faz o passeio com a família ainda mais agradável. Mas na hora de estacionar terá que usar a câmera de ré, já que a visibilidade traseira fica prejudicada pelas largas colunas traseiras e pelo estreito vidro de trás. 

Se for pegar uma estrada, vai se impressionar o o silêncio a bordo. Mas ID.4 parece que foi projetado mais como um cruzador do que como um EV esportivo, proporcionando o conforto de recursos como o controle de cruzeiro adaptativo, a assistência de faixa e o alerta de fadiga do motorista.

Ok, há uma série de comodidades ao volante, mas é bom ficar de olho a autonomia. A declarada pelo Inmetro é de 370 km. Se tiver um carregador doméstico de 7,4 kW em casa (o que é altamente recomendável), vai precisar de 12 horas para ir do zero até a carga total.  Mas em carregadores rápidos de 125 kw, para ter 80% da carga total, são necessários 38 minutos, nada mal.

Quem se preocupa com a segurança, vale lembrar que o Volkswagen ID.4 levou nota máxima nos testes do Euro NCAP e teve um desempenho particularmente bom nas categorias de ocupante adulto (93%) e assistência de segurança (85%). 

Entre os prós e contras, o saldo é positivo para o Volkswagen ID.4, que é apenas o começo da história ligada à eletrificação da marca. Existem alguns pontos para evoluir, como é o caso do sistema de comando por voz e da falta de acesso à internet nativo, além de alguns detalhes de ergonomia, como você verá no nosso vídeo. Além disso, o  fato de estar disponível apenas por assinatura é outro item que atrapalha um pouco a vida do SUV diante dos rivais. 

Volkswagen ID.4
Volkswagen ID4 vem com motor elétrico no eixo traseiro e as baterias no assoalho do carro, contribuindo com o centro de gravidade
Imagem: Divulgação

Siga o AUTOO nas redes: Instagram | LinkedIn | Youtube | Facebook | Twitter

 

Recomendados por AUTOO

Youtube
Toyota Corolla Cross 2025 muda para encarar chineses

Toyota Corolla Cross 2025 muda para encarar chineses

Modelo ganhou novo visual e alguns equipamentos interessantes. Assista
Aviação
Maior avião brasileiro está combatendo incêndios no Pantanal

Maior avião brasileiro está combatendo incêndios no Pantanal

Embraer KC-390 da FAB pode ser convertido para avião bombeiro. Veja como funciona
MOTOO
Bajaj inaugura fábrica no Brasil

Bajaj inaugura fábrica no Brasil

Uma das maiores montadoras do mundo, a gigante indiana construiu fábrica própria em Manaus para produção de motocicletas