Android Auto e Apple CarPlay: mais perigosos que álcool ao volante

Estudo britânico com motoristas mostra que tempo de reação dos condutores aumenta muito ao interagir com a central multimídia
Central multimídia Sync 3 é um dos destaques do facelift do Ford Ka

Central multimídia Sync 3 é um dos destaques do facelift do Ford Ka | Imagem: Divulgação

Não é de hoje que os consumidores estão pedindo cada vez mais interação de seus smartphones com os automóveis. A solução, seja por meio de Android Auto ou de Apple CarPlay, está sendo adotada de forma acelerada pelos lançamentos do setor automotivo nos últimos anos. No entanto, usar tais sistemas enquanto se conduz pode ser mais perigoso que dirigir sob efeito de álcool e outras drogas.

A conclusão foi revelada pelo instituto britânico IAM Roadsmart, que desde 1956 divulga estudos e estatísticas sobre segurança viária naquela região. Segundo a IAM, motoristas sob efeito de álcool (dentro do limite legal no Reino Unido), digitando no celular, falando ao telefone ou sob efeito de entorpecentes como maconha reagem mais rápido ao volante do que os usuários que estavam interagindo com os sistemas de espelhamento de smartphones.

De acordo com os estudos do IAM, motoristas utilizando a opção Android ou Apple deixaram de olhar para a rua por até 16 segundos enquanto interagiam com as centrais multimídias. Dentro da velocidade máxima regulamentar da Inglaterra, de 70 mi/h (cerca de 112 km/h), isso significa que os condutores cruzaram quase 500 m de distância sem olhar para frente. Entre os motoristas no teste, a média de distração ficou entre 11 e 16 segundos.

Quando o assunto é tempo de reação a obstáculos, um motorista dentro do limite legal de álcool no sangue (0,035 mg/100ml na Inglaterra) leva até 12% a mais de tempo para reagir. Condutores sob efeito de maconha levam em média 21% a mais de tempo que o normal para ter reação. Usar o Android Auto aumentou o tempo de reação em 53%, enquanto para o Apple CarPlay esse número foi de 57%. Falar ao telefone enquanto se dirige, por outro lado, elevou o tempo de reação em 46%.

Você pode conferir a íntegra do estudo clicando aqui (em inglês)

Central multimídia da Nissan: recurso está cada vez mais popular entre os carros de entrada
Central multimídia da Nissan: recurso está cada vez mais popular entre os carros de entrada
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!