Aposta de risco da Volkswagen, SUV Taos começa a ser produzido na Argentina

Novo utilitário esportivo vai se encaixar entre o T-Cross e o conhecido Tiguan e disputará um mercado onde o Jeep Compass sobra
VW investiu US$ 650 milhões na Argentina para produção do Taos

VW investiu US$ 650 milhões na Argentina para produção do Taos | Imagem: Divulgação

A Volkswagen dá início oficial à produção do seu novo utilitário esportivo médio, o Taos, nesta sexta-feira na fábrica de Pacheco, na Argentina. O modelo é o quarto lançamento no mercado de SUVs na região após a chegada da nova geração do Tiguan (feito no México) e dos brasileiros T-Cross e Nivus.

A ofensiva da marca alemã nesse segmento demorou, mas tem mostrado grandes resultados. Para se ter uma ideia, hoje T-Cross e Nivus ocupam a 2ª e 3ª posições entre os modelos mais vendidos da Volks no Brasil, só atrás do eterno Gol, mas superando com boa margem veículos mais baratos como o Polo e os sedãs Virtus e Voyage.

A missão do Taos, no entanto, não será fácil. O modelo irá enfrentar um fenômeno de vendas, o Jeep Compass, e um estreante com “sobrenome”, o Corolla Cross, em um mercado onde vendas diretas e outra manobras comerciais não fazem tanto efeito.

Além disso, a Volkswagen terá de abrir espaço para encaixar o Taos entre o T-Cross e o Tiguan. Aliás, o SUV na versão Allspace já perdeu a versão de entrada justamente por isso.

Com dimensões bastante generosas, um confiável e eficiente motor 1.4 TSI de 150 cv e uma lista de equipamentos respeitável, o SUV Taos certamente terá um custo-benefício interessante, mas saber o potencial de causar estragos na concorrência é algo que só saberemos durante o lançamento, aguardado para junho.

No primeiro contato, o Taos agradou

No mês passado, o editor-chefe do AUTOO, César Tizo, teve contato com o Taos durante uma apresentação estática na Volkswagen e gostou do que viu. Entre os pontos destacados por ele estão o amplo porta-malas (468 litros), o espaço interno generoso, graças ao entreeixos de 2,68 m, e o nível de acabamento do SUV, “algo que torna o habitáculo ainda mais envolvente e acolhedor”, afirmou na ocasião.

Assim como o Corolla Cross, o Taos não enfrentará as versões a diesel do Compass, concentrando-se em encarar os modelos flex, agora com novo motor turbo T270 do modelo da Jeep, um 1.3 litro com 185 cv e 270 nm de torque, daí a referência semelhante a que a Volks criou em seus próprios propulsores.

O Nivus, T-Cross, Taos e Tiguan: ofensiva da VW estará completa em breve
O Nivus, T-Cross, Taos e Tiguan: ofensiva da VW estará completa em breve
Imagem: Divulgação

Já notando a maior concorrência, a Jeep praticamente não mudou os preços do Compass 2022 turbo flex, que vão de R$ 140 mil a R$ 177 mil. A Volks, por sua vez, reajustou os valores do T-Cross e aproximou com isso a versão Highline 250 TSI do Compass e Corolla Cross de entrada, que agora custa R$ 136.660.

Isso implica em empurrar o Taos mais para cima, possivelmente o colocando numa faixa entre R$ 145 mil e R$ 180 mil, no caso da versão Highline, já confirmada. Há espaço para uma versão ainda mais cara já que o Tiguan Allspace foi reduzido apenas ao modelo R-Line com valor de R$ 229,2 mil, mas talvez seja um tiro n´água já que nessa faixa o SUV brigaria com modelo a diesel.

Portanto, o Taos não terá um impacto tão grande em volume de vendas na VW assim como ocorre com a dupla T-Cross e Nivus, que já soma 30 mil unidades emplacadas no primeiro trimestre de 2021, mas pode acrescentar cerca de 3 mil carros mensais ao total da marca.

Claro, isso desde que a produção na Argentina, onde ainda não teve data de lançamento anunciada também, dê conta da demanda dos dois países. 

Atualização (23/04 às 14h05): em evento realizado na tarde desta sexta-feira direto da fábrica de Pacheco, na Argentina, a Volkswagen adiantou que o lançamento do Taos na região ocorrerá "nas próximas semanas". Considerando o avanço na produção, é certo apostar que a apresentação definitiva do Taos, com todos os preços e versões, ficará para maio e a chegada do SUV ao mercado aconteça em junho, como havíamos antecipado