A inspiração não poderia ser mais chinesa, o urso Panda. Para quem critica os carros feitos na China pela falta de originalidade, o GC2 sobra nesse sentido. Compacto popular, o modelo da Geely chega ao Brasil em setembro com um estilo inconfundível e um preço competitivo de R$ 29.900.

À essa altura, você pode estar se perguntando “quem é essa Geely mesmo?”. É uma das principais montadoras chinesas, mas é mais conhecida por ser dona da Volvo, a marca de luxo sueca. A operação brasileira da Geely está a cargo do grupo Gandini, que também representa a Kia no Brasil.

A estratégia das duas empresas, no entanto, difere do que fizeram Chery e JAC, as duas marcas chinesas mais conhecidas em nosso mercado. Em vez de muita propaganda e fábricas em território nacional, a Geely começou devagar, com apenas duas concessionárias operando desde março, quando chegou ao Brasil o primeiro modelo, o sedã EC7. A ideia é chegar até o final do ano com 15 pontos de vendas, a maioria em cidades médias – a Geely não quer disputar de cara os clientes nos grandes centros urbanos.

Nessa primeira fase da operação, a Geely deverá vender ao menos quatro modelos no Brasil. Além do sedã EC7 e do hatch GC2, chegarão o GX2, um aventureiro feito na base do GC2, e o EX7, primeiro SUV da marca, focado no mesmo segmento onde estão hoje o Tucson, da Hyundai, e o rival local Lifan X60. Em 2015 também será introduzida a versão automática do EC7 e os primeiros motores flex.

Mas o pulo do gato da Geely ocorrerá em 2016. Segundo Ivan Fonseca e Silva, presidente da empresa no Brasil, é neste ano que o primeiro fruto da união dos chineses com a Volvo surgirá. Será a nova geração do V40, que compartilhará a mesma plataforma com o futuro EC7.

Entre erros e acertos

Até lá, no entanto, a Geely vai precisar de criatividade para emplacar seus modelos. O pequeno GC2 é um bom exemplo dos erros e acertos que os chineses ainda cometem. Se o design agrada, com sua alusão ao panda, a falta de inspiração no interior não difere muito de outros carros desenhados na China.

O aspecto positivo do hatch é a dirigibilidade agradável. O motor 1.0 tem 3 cilindros e um bom torque em média rotações. Isso significa que o GC2 dá conta do recado com quatro pessoas a bordo e tem agilidade proporcionada pelo câmbio de engates longos, porém macios. A direção, hidráulica, é um pouco pesada, mas não afeta o comportamento do modelo – no Chile, a Geely vende uma versão com assistência elétrica, que seria mais adequada para o modelo.

Com dimensões modestas (3,6 m de comprimento e apenas 2,3 de entreeixos), o GC2 obviamente não poderia esbanjar espaço interno, mas o aproveitamento é melhor do que o esperado. Quem mais sofre, na verdade, são os passageiros do banco de trás, que batem o joelho no encosto do banco dianteiro e a cabeça no teto caso tenham mais de 1,85 m.

O porta-malas é outro compartimento menor do que o ideal. Tem apenas 200 litros e acesso ruim. A Geely acertou em desenhar uma tampa de vidro – como no up! europeu – mas preferiu articulá-la muito acima da base do para-choque. Com isso, você precisará levantar uma mala por pelo menos um metro para colocá-la no bagageiro.

Mas o aspecto que mais deixa a desejar é sempre o do acabamento. Materiais agradáveis ao toque se misturam com outros de baixa qualidade, além de algumas peças mal encaixadas. E há que se ressaltar que a empresa que monta os modelos no Uruguai faz um trabalho quase artesanal, mas não há solução quando o desenho da peça é ruim.

Anúncio da Geely
Divulgação

Anúncio da Geely na China aproveita a semelhança do Panda com o GC2

Como comprar?

Se você não liga para certos caprichos, pode sim ver no GC2 um carro bastante racional. O pacote é atraente: direção, trio elétrico, ar-condicionado, sensor de estacionamento, bancos bipartidos, rádio com MP3, CD e USB, Isofix e até regularem elétrica dos faróis. Falta ainda um sistema Bluetooth e talvez comandos satélite no volante, para citar dois exemplos. Esses avanços, porém, devem ficar para a segunda onda de lançamentos.

A extrema preocupação em não querer criar expectativas excessivas, no entanto, pode dificultar o crescimento da Geely no Brasil. Sem um plano de divulgação claro e, principalmente, uma rede de concessionárias mínima, será difícil atender a potencial clientela. Ivan minimiza o fato e se dispõe a atender qualquer interessado em território brasileiro: “estamos dispostos a ir até o cliente estiver”, garante.

Tudo o que a Geely precisa evitar é que o GC2 se torne um veículo raro nas ruas brasileiras. Nesse aspecto, é melhor que ele não se pareça com o quase extinto Panda.

 
 
Geely GC2 2015: visual inspirado no chinesíssimo Panda Geely GC2 2015: visual inspirado no chinesíssimo Panda
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Geely GC2 Geely GC2
Chave do GC2 tem formato de Panda Chave do GC2 tem formato de Panda
A grade em formato de boca do GC2 A grade em formato de boca do GC2
Detalhe da tampa de vidro do porta-malas do GC2 Detalhe da tampa de vidro do porta-malas do GC2
Sistema Isofix nos bancos do Geely Sistema Isofix nos bancos do Geely
30% do GC2 é produzido na América do Sul, incluindo os vidros 30% do GC2 é produzido na América do Sul, incluindo os vidros
Linha de montagem do GC2 no Uruguai Linha de montagem do GC2 no Uruguai
Geely pode montar até 300 carros por mês atualmente Geely pode montar até 300 carros por mês atualmente
Limpador único do GC2 Limpador único do GC2
Geely GC2 Geely GC2
Soldagem da carroceria do GC2 Soldagem da carroceria do GC2
Produção quase artesenal Produção quase artesenal
Modelo será oferecido em cinco cores Modelo será oferecido em cinco cores
Peças vêm da China e são montadas no Uruguai Peças vêm da China e são montadas no Uruguai
 
 

Ficha técnica

Geely GC2 2015 GL 1.0 12V gasolina manual 4p
Categoria Hatch compacto
Motor 3 cilindros, 997 cm³
Potência 68 cv a 6000 rpm (gasolina)
Torque 8,9 kgfm a 3600 rpm
Dimensões Comprimento 3,598 m, largura 1,63 m, altura 1,465 m, entreeixos 2,34 m
Peso em ordem de marcha 973 kg
Tanque de combustível 35 litros
Porta-malas 205 litros
Veja ficha completa

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/