Com que frequência eu devo lavar o carro?

Consultamos as fabricantes de tintas automotivas em busca da resposta; confira recomendações
Ao lavar o carro, dê preferência aos produtos voltados a esse fim e não use esponjas abrasivas

Ao lavar o carro, dê preferência aos produtos voltados a esse fim e não use esponjas abrasivas | Imagem: Reprodução internet

Há quem, por prazer e orgulho de ver seu carro sempre reluzente, goste de dar um bom banho em sua máquina todo fim de semana e depois sair por aí exibindo sua joia nas ruas. Outros não ligam muito para isso e só levam o carro a um lava-rápido quando a sujeira é demais. Mas será que existe um tempo ou uma frequência ideal para manter seu carro sempre limpo?

Com essa pergunta em mente, o AUTOO entrou em contato com algumas multinacionais especializadas na produção e fornecimento das tintas que cobrem a carroceria dos mais variados automóveis ao redor do mundo.

Segundo a alemã BASF, o prazo ideal para a lavagem do carro é a cada duas semanas. “A frequência ideal varia de acordo com o nível e tipo de sujeira, pois uma sujeira ocasionada pelo excremento de pássaros ou resina natural de uma árvore por um período maior que uma ou mais semanas pode danificar a pintura de uma forma irreversível e somente com o polimento será possível eliminar esta marca. Assim que observar uma dessas sujeiras, o ideal é retirá-la o quanto antes”, aconselha Fábio Shimozato, gerente do laboratório do desenvolvimento da divisão de tintas automotivas.

Além disso, também é sempre bom evitar o chamado "dano químico", que é causado por produtos que podem entrar em contato com a pintura do carro, como solventes (querosene, piche de asfalto) e maresia/água de praia, sendo recomendado lavar a área sempre que houver contato com algum desses componentes.

Ainda segundo a empresa alemã, é interessante destacar que em alguns casos a temperatura da superfície do carro chega a 60°C, acelerando o processo que causa dano à pintura do veículo. A melhor forma de evitar isso é não deixar acumular sujeira na carroceria, pois ela faz com que marcas sejam formadas nos locais onde está mais concentrada.

Já a norte-americana PPG informa que não existe um tempo ou padrão específico para realizar a lavagem do carro, destacando que “depende muito da demanda de sujeira no veículo”. A empresa menciona, contudo, que a lavagem deve ser sempre realizada da maneira correta para não acarretar prejuízos à carroceria do carro. 

Lavar demais o carro pode ser ruim?   

“Dependendo do tipo de lavagem sim, pois quando há exposição excessiva ao atrito causado pelas cerdas do lavador automatizado há a possibilidade de causar riscos na pintura. Além disso, deixar resíduo de um produto de limpeza que não é indicado para lavagem de automóveis não é aconselhável, pois ele pode conter ingredientes químicos que favorecem o ataque na superfície da pintura. Se o proprietário do veículo faz questão de lavar o carro com frequência maior que uma vez por semana, o ideal é simplificar com água e um pano e, se necessário, um produto como xampu automotivo (neutro)”, destaca Shimozato, gerente da BASF.

O setor de tintas automotivas da BASF também acrescenta que é sempre interessante conferir se na água não há partículas que podem riscar o veículo e, de preferência, utilizar produtos de limpeza específicos para o carro, evitando produtos para limpeza de piso ou banheiro voltados ao uso residencial, por exemplo. O ideal, aqui, é utilizar esponjas não abrasivas.

 
 
Ao lavar o carro, dê preferência aos produtos voltados a esse fim e não use esponjas abrasivas
 
Ao lavar o carro, dê preferência aos produtos voltados a esse fim e não use esponjas abrasivas
Ao lavar o carro, dê preferência aos produtos voltados a esse fim e não use esponjas abrasivas