O novo Chevrolet Corvette C8 2020 está atrasado e três problemas podem ser a causa. O muscle car vai usar uma nova arquitetura elétrica, o que por si só já figura entre uma das questões, mas os engenheiros parecem estar tendo problemas para eliminar dificuldades bem mais profundas.

Uma delas é a altíssima potência que esse veículo vai entregar, que está entre 900 e 1.000 cv na sua configuração mais extrema movida por um V8 biturbo. Parece divertido, mas o problema está justamente na violência com que essa potência é despejada, o que está causando torções na estrutura de alumínio do futuro esportivo. A dificuldade é tão grande que o vidro traseiro, que abriga o motor, acaba quebrando sempre que é pedido mais desempenho do modelo. 

A publicação responsável pelas informações, a Hagerty, conta ainda que há um terceiro desafio ainda misterioso: a eterna guerra entre engenheiros e designers está colocando o projeto em cheque. Ainda não há certeza sobre qual seria essa dificuldade, mas o site afirma que pode ser devido ao interior totalmente novo, o qual haveria gerado reclamações entre as equipes envolvendo a visibilidade e a ergonomia.

A despeito de tudo isso, a publicação sugere que o veículo será revelado até agosto. O modelo usará uma versão atualizada do 6.2 V8 em sua configuração de entrada, que produz 500 cv. Tomara que tudo se resolva o quanto antes e que não enfrente inúmeros recalls depois do lançamento. 

 

Vidro traseiro não suporta a torção da carroceria e está quebrando no novo Corvette 2020
Vidro traseiro não suporta a torção da carroceria e está quebrando no novo Corvette 2020
Imagem: Carscoops

 

Vinicius Montoia

Formado pela PUC-SP em jornalismo, Vinicius já atua no setor automobilístico desde 2013. É criador do canal Narração Esportiva do Youtube, projeto que conta a história dos maiores narradores esportivos do país

Vinicius Montoia | https://www.youtube.com/channel/UC2lKRtZdmSdMRJZ8Pim78Fw