Depois das motos, Shineray investe nos comerciais leves

Marca chinesa quer vender 3 mil unidades em 2013 e, finalmente, tornar-se mais conhecida no segmento de veículos para trabalho

Shineray T22 | Imagem: Dilvugação

Se você gosta de motos provavelmente já ouviu falar da Shineray, marca chinesa que está no setor das duas rodas desde 2005. Caso contrário, o nome deve ter soado estranho. Culpa da pouca publicidade dos chineses que só agora resolveram explicar melhor seus planos no segmento de comerciais leves.

A marca já vende vans, picapes furgões desde abril do ano passado e informa ter emplacado 700 unidades em 2012. Com esse volume, ver um Shineray com quatro rodas nas ruas é uma tarefa difícil, mas os representantes da empresa no Brasil, o grupo pernambucano BCI Brasil China, prometem torná-la mais natural este ano: a meta é vender 3 mil unidades dos modelos A7 e A9 (vans de passageiros), A9 Cargo (furgão) e T20 e T22 (picapes leves).

Apesar das restrições criadas para importação de veículos, a Shineray nacional ainda não anunciou um projeto de fábrica no Brasil, apenas uma unidade voltada para a produção de motos, seu principal negócio no país.

Quebra-cabeças chinês

Como outras montadoras chinesas, a Shineray também tem uma estrutura complicada. Nascido em 1997 o grupo faz motocicletas e, mais recentemente, optou pelos comerciais leves do tipo “Towner”. A empresa, no entanto, pertence à Brilliance, montadora mais antiga e voltada para automóveis de passeio, além de ter uma parceria com a BMW para a produção na China.

A Brilliance, por sua vez, chegou a ser anunciada no Brasil, mas teve seu lançamento abortado pelo CN Auto, grupo brasileiro que não tem relação com a BCI.

Para dar conta da demanda de 3 mil unidades, a Shineray promete ter 50 concessionárias no Brasil até o final deste ano.

Veja Mais: Chinesa Rely estreia no mercado de comerciais leves no Brasil

Assine a newsletter semanal do AUTOO!