Depois de quase 30 anos, Ford Mondeo, o nosso Fusion, sairá de linha por completo

Modelo global da marca deixará de ser produzido e não terá sucessor ao passo que a empresa focará apenas em SUVs
Acima a linha Ford Mondeo Hybrid

Acima a linha Ford Mondeo Hybrid | Imagem: Divulgação

Em maio do ano passado, a Ford deixou de vender o Fusion no Brasil. Pouco tempo depois, sua produção no México teve fim, o que possibilitou à marca o início da fabricação do Bronco Sport, que deve chegar ao nosso mercado em maio. O modelo permaneceu sendo oferecido nos mercados da Europa com o nome que utiliza por lá há quase 30 anos: Mondeo.

Enquanto ao longo do ano passado surgiram boatos que a nova geração do sedã e da perua oferecidos por lá teriam uma nova proposta e se tornariam uma espécie de perua com apelo aventureiro, a Ford acabou de confirmar que dará fim ao Mondeo em 2022 sem deixar sucessores, encerrando uma história de quase três décadas.

Motivos para o encerramento não faltam e um deles é o baixo número de vendas. Na Inglaterra, em 2001, foram 86 mil unidades comercializadas. Em 2020, foram apenas 2.400. Em comunicado, a Ford diz que está “evoluindo as soluções para veículos de passageiros à medida que avançamos para um futuro totalmente elétrico. A Ford está totalmente empenhada em desenvolver seu portfólio de veículos de passageiros na Europa, fortalecendo sua posição com veículos como o Kuga (Escape), Puma e Explorer PHEV”. 

Sobre o protótipo que foi flagrado na Europa e que a imprensa de lá afirmava que seria a nova geração do Mondeo com proposta aventureira, um porta-voz da Ford declarou em entrevista ao site britânico AutoExpress que “embora não comentemos as especulações sobre os planos de nossos produtos, podemos afirmar que não temos planos para um futuro Mondeo na Europa”.

Projeção antecipa o futuro Ford Mondeo Evos
Ford Mondeo Evos seria a nova geração do modelo, mas não será feita
Imagem: Reprodução / Kolesa