Em 2016, nenhum Rolls Royce foi vendido no Brasil!

Crise entre os bilionários: marcas de alto luxo também experimentam quedas significativas nas vendas
Rolls-Royce Phantom 2015

Rolls-Royce Phantom 2015 | Imagem: Divulgação

Marca mais aristocrática do mundo e que está oficialmente no país desde 2012 com uma loja em São Paulo, a Rolls Royce ocupa uma posição nada nobre no ranking de vendas no Brasil: é a última colocada entre as quase 50 marcas que atuam em nosso mercado.

Até aí não chega a ser novidade afinal a marca inglesa tem boa parte dos automóveis mais caros e exclusivos do mundo. O problema é que nenhuma unidade foi emplacada em 2016. É isso mesmo que você leu: zero. Até maio não apareceu um mísero cliente na loja paulistana, bem diferente das cinco unidades emplacadas no ano passado, já em meio à crise da economia, e distante das oito limusines vendidas em 2014 – que não impediram a R-R de figurar na última colocação no ranking.

Fim da bolha?

O caso da Rolls Royce não é isolado. Os tempos de vendas magras que atingiram os veículos populares também chegaram aos supercarros. A Lamborghini, por exemplo, conseguiu apenas em maio sua primeira venda, uma unidade do Huracán que custa perto de R$ 2 milhões.

A Bentley, rival histórica da Rolls Royce, também não tem do que se orgulhar: apenas duas unidades foram comercializadas em 2016, nada comparado aos 14 veículos de 2014.

E acrescentem nesta lista a Aston Martin, a Maserati e a gloriosa Ferrari. A mítica marca de esportivos italiana, que chegou a vender quase 60 deles em 2011 este ano amarga apenas seis macchinas em seu ‘talão’ de vendas.

Essa realidade contrasta com a impressão geral de que a crise só afetou o consumidor mais humilde, dependente de financiamentos longos para levar um carro zero para casa. É claro que para um bilionário, mesmo num momento não tão favorável, comprar um veículo acima de R$ 500 mil não chega a ser o drama de um comprador de carro 1.0, mas quem em sã consciência pagaria uma fortuna por um modelo importado cujo preço é calculado em moeda estrangeira?

"O cliente de automóveis como esses até tem dinheiro para comprá-lo, mas diante da situação do país não fica bem chegar na empresa com um carrão enquanto promove cortes", explica o representante de uma dessas marcas de luxo.

Há cinco anos, quando a Ferrari se esbaldava por aqui, o dólar valia R$ 1,58. Hoje ,ele custa 115% a mais, ou seja, numa conta simplória, qualquer um desses veículos luxuosos deveria sair por mais do que o dobro do preço.

É aquela situação em que quem quer comprar não tem coragem e quem quer vender não tem como. O jeito é esperar um horizonte mais propício para trocar seu ‘velho’ Phantom por um novinho em folha.

Rolls-Royce Phantom 2015

Rolls-Royce Phantom 2015

Bentley Continental GT Speed Black Edition

Bentley Continental GT Speed Black Edition

Recomendados por AUTOO

Youtube
Choque de elétricos baratos

Choque de elétricos baratos

BYD Dolphin Mini ou Kwid E-Tech, quem leva a melhor nos modelos a bateria?
Aviação
Os novos porta-aviões da China e dos EUA comparados

Os novos porta-aviões da China e dos EUA comparados

Fujian e Gerald R. Ford são como forças aéreas móveis, capazes de se deslocar pelo mundo inteiro
MOTOO
5 motos 0km para comprar na faixa dos R$ 20 mil

5 motos 0km para comprar na faixa dos R$ 20 mil

Confira opções de modelos interessantes de Honda, Yamaha, Royal Enfield, Bajaj e Dafra