Entenda como funciona o Start & Stop

Por ora, sistema é encontrado apenas em veículos importados à venda no Brasil, mas a partir de 2014 também estará presente em modelos nacionais

O Stop/Start também pode ser desligado | Imagem: BMW

O mercado automotivo brasileiro vive recheado de letrinhas e palavras em inglês. As mais comuns são ABS, EBD, Park Assist e Start &Stop, esse último de grande vantagem em situações de congestionamento ou quando o veículo para em um semáforo.

O Start & Stop é um sistema que desliga o motor de forma instantânea quando o carro encontra-se parado por alguns segundos e volta a ligá-lo quando o freio é aliviado . Criado pela francesa Valeo em 2004 para equipar o Citroën C3, o sistema caiu nas graças dos consumidores e atualmente está presente em diversos modelos.

Leia também: Carro sem motorista do Google recebe autorização para rodar nos EUA

Esse equipamento não é tão recente assim. A primeira aparição do Start & Stop ocorreu em meados da década de 70, quando a crise do petróleo abalou o mundo e o preço do barril subiu mais de 300% em poucas semanas. Em busca de alternativas para poupar combustível, as montadoras acabaram chegando nesse sistema, que só não foi popularizado porque os motores demoravam a ligar e apresentavam muitas falhas, principalmente porque naquela época ainda não existia ainda a injeção eletrônica - os carros utilizavam carburadores.

Hoje em dia, o item está em alta graças aos avanços tecnológicos das últimas décadas. O objetivo continua sendo a economia de combustível, mas a intenção de preservar o meio ambiente (ou diminuir a agressão a ele) também está agregada nessa meta.

Como funciona?

Existem dois tipos de Start & Stop: o primeiro é baseado no sistema de partida convencional, que tem como principais alterações a introdução de um motor de partida mais robusto e uma central eletrônica para gerenciar o sistema e “dizer” quando o motor tem que desligar ou ligar. Esse é o tipo de sistema do gênero mais utilizado atualmente, por ser o de menor custo no desenvolvimento, fabricação e implantação.

Já o segundo baseia-se no alternador, que substitui o motor de partida e faz um trabalho inverso, girando o motor através da correia.

Quando é dada a partida no motor, ele fica responsável por gerar rotação para os componentes do sistema e, a partir do momento em que o motor entra em funcionamento, ele passa a gerar eletricidade como um modelo tradicional.

Mas, para que o Start & Stop possa entrar em funcionamento existem algumas regras. O veículo, por exemplo, precisa estar parado e com a rotação do motor em marcha lenta. No caso de carro com câmbio manual, o pedal da embreagem deve estar acionado, já para automóveis com transmissão automática, o freio deve estar pressionado e, além disso, a temperatura ambiente e do motor devem estar dentro do normal.

Já existe no Brasil?

No mercado brasileiro já existem alguns modelos equipados com o Start & Stop, porém todos importados e de categorias premium como o BMW X3, o Porsche Panamera e o Audi A1. Mas a situação está caminhando para uma mudança, principalmente porque a regulamentação brasileira está ficando cada vez mais parecida com a europeia (o ideal é que já estivesse).

A expectativa é que, em um futuro não muito distante, o sistema Start & Stop se popularize no Brasil e esteja presente na lista de equipamentos – de preferencia de série – de modelos comuns e acessíveis como Fiat UnoVolkswagen Gol.

E isso não vai demorar a acontecer. De acordo com Rafael Borelli, gerente da divisão de motores de partida da Bosch, o equipamento já está em fase de nacionalização pela marca. O lançamento do primeiro modelo fabricado no Brasil e equipado com o sistema deve ocorrer entre 2013 e 2014.

Assista abaixo o vídeo da Bosch que explica o funcionamento do sistema em carros manuais e automáticos:

 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!