Ford Puma: SUV impressiona ingleses e faz o que o Territory não conseguiu

Na Europa, modelo que traz arquitetura do Fiesta é apresentado como alternativa logo acima do EcoSport na linha da marca
Ford Puma ST-Line

Ford Puma ST-Line | Imagem: Divulgação

Com preços começando na faixa dos R$ 166 mil, o Ford Territory acabou se distanciando do preço aguardado para a novidade e pode não conseguir cumprir o papel de servir como opção de SUV logo acima do EcoSport no Brasil, cuja versão mais cara sai por R$ 110.996. No entanto, há um outro utilitário esportivo que se encaixaria nesse hiato entre os modelos: trata-se do Ford Puma europeu.

O modelo por lá cumpre com sucesso a tarefa de ser uma opção melhor e imediatamente acima da faixa de preços do EcoSport. Na Inglaterra, apenas como comparação, um EcoSport sai por 21.490 libras esterlinas (cerca de R$ 150 mil) na versão mais cara, enquanto o Ford Puma parte de 21.640 libras (R$ 152 mil), já trazendo um conjunto motriz eletrificado não oferecido no EcoSport.

Avaliado pelo site britânico Autocar, o Ford Puma Titanium é a configuração de entrada do modelo na terra da rainha. Vale lembrar que o modelo é feito sobre a arquitetura do Fiesta europeu, trazendo duas opções de potência para um motor 1.0 turbo de três cilindros: 125 cv ou 155 cv. O carro testado tinha câmbio manual de seis marchas e o menor número de força. Todas as configurações trazem auxílio de um motor elétrico que atua como gerador e motor de arranque, alimentado por um sistema de 48V.

Ford Puma
Ford Puma
Imagem: Divulgação

Na opinião da publicação inglesa, o visual do Ford Puma precisa ser elogiado. Apesar de causar estranheza no primeiro contato, ao menos tenta fazer diferente dos rivais de outras marcas, com um aspecto de olhos arregalados e uma grande boca aberta. Ao contrário de outros SUVs compactos, o desenho é mais fluído e a linha de cintura não recorre a um ângulo ascendente da dianteira para a traseira para evocar esportividade.

Por dentro, a cabine do Ford Puma não arrancou tantos suspiros dos avaliadores britânicos. De acordo com a publicação, a ousadia que sobrou na carroceria não chegou ao interior do pequeno SUV. No entanto, foi lembrado que a ergonomia era boa e fornecia praticidade no uso diário. Apesar de quase idêntico à cabine do Fiesta, faltou-lhe mais criatividade na comparação com rivais diretos europeus.

Ford Puma ST-Line
Ford Puma ST-Line
Imagem: Divulgação

Falando do interior, o banco traseiro do Ford Puma foi capaz de trazer um conforto relativamente bom aos passageiros. No entanto, foi lembrado que um VW T-Cross (com menor entre-eixos na Europa do que no Brasil) era mais espaçoso. O porta-malas de 401 litros estava um pouco abaixo da média para a categoria, mas isso aconteceu por conta das baterias extras do sistema híbrido-leve e também pelo Megabox, compartimento plástico sob o assoalho do bagageiro que fica isolado e conta com 80 litros de espaço.

Detalhe do
Detalhe do "Megabox", compartimento plástico sob o assoalho do porta-malas com 80 litros de espaço
Imagem: Divulgação

Sobre o conjunto motriz, o site britânico afirmou que o sistema híbrido-leve se torna fundamental para dar mais força ao pequeno tricilíndrico turbinado em baixas rotações, evitando mudanças de marchas constantes. Além disso, a complexidade do sistema está “99% disfarçada” nas palavras dos avaliadores. Percebe-se o carro hesitando apenas ao se desengrenar antes de uma parada completa. No demais, o conjunto forneceu “um desempenho saudável tanto na cidade quanto na estrada.”

Sem a suspensão de acerto esportivo do Puma ST-Line, a versão Titanium conseguiu prover um rodar agradável. Mesmo sem rodas grandes ou molas de maior carga, o Puma avaliado ainda foi descrito como o mais divertido de se guiar entre os rivais, com níveis comedidos de rolamento de carroceria e boa aderência em curvas.

Sem muitos defeitos, exceto um consumo relativamente baixo se os compradores acharem que têm um híbrido convencional, concluiu-se que o Ford Puma foi um dos melhores produtos apresentados pela marca na Europa nos últimos 10 anos. Não só por seus predicados objetivos, mas também por ser mais ousado e divertido de guiar que os rivais de um segmento cada vez mais disputado e onde os concorrentes diferem pouco entre si.

De tão bom, a conclusão do site britânico sobre o Ford Puma acabou deixando um gosto amargo na boca dos fãs do EcoSport. De acordo com os ingleses “o Puma é tão bom que nos fez pensar se o fato do EcoSport permanecer em linha não foi apenas uma jogada de marketing bem pensada, fazendo com que ele apenas realce as qualidades do Puma”, declara a publicação.

Ford Puma
Ford Puma
Imagem: Divulgação
Assine a newsletter semanal do AUTOO!