Futuro SUV mais caro da Jeep no Brasil: conheça o Grand Cherokee L

Modelo está confirmado para chegar ao mercado em 2022
Jeep Grand Cherokee L 2021

Jeep Grand Cherokee L 2021 | Imagem: Divulgação

O futuro Jeep Commander nacional não será o único produto 7 lugares que vai integrar o portfólio da marca aqui no Brasil.

Tradicional SUV full-size bem ao estilo norte-americano, o Jeep Grand Cherokee L está confirmado para estrear no Brasil em 2022 e provavelmente se tornará o modelo topo de linha da Jeep no país, uma vez que o Wagoneer seria caro — e grande — demais para nosso mercado.

Quem é o Grand Cherokee L?

Modelo que começou a ser vendido nos EUA em junho deste ano, o Grand Cherokee L segue a receita tipicamente americana para um SUV, sobrando no tamanho, espaço interno e porta-malas.

De um para-choque a outro, o Grand Cherokee L tem nada menos do que 5,20 m de comprimento, tamanho próximo ao da maioria das picapes médias vendidas no Brasil.

Com 3,09 m de entre-eixos e largura próxima aos 2 metros, fica claro que espaço interno não é um problema para o SUV grande, inclusive para quem ocupa a terceira fileira de assentos.

Segundo a Jeep, o porta-malas do modelo também impressiona: são mais de 1.300 litros de capacidade na configuração 5 lugares. A medida em questão leva em conta o padrão adotado nos EUA, que considera o volume até o teto.

Sofisticado, o Grand Cherokee L conta com suspensão multibraço tanto nas rodas dianteiras como traseiras, bem como pode receber os motores 3.6 V6 (297 cv/35,9 kgfm) e 5.7 V8 (361 cv/53,9 kgfm). Ambos trabalham com o câmbio automático de 8 marchas e podem receber diferentes sistemas de tração dependendo da versão. 

Preços nos EUA

Tomando como base os valores que a Jeep anunciou para o Grand Cherokee L nos EUA, já podemos ter uma ideia do posicionamento que o SUV vai adotar por aqui.

Em sua configuração de entrada Laredo 4x2 V6, o Grand Cherokee L chegou aos concessionários do país por US$ 36.995, cerca de R$ 190.000 em uma cotação direta, sem levar em conta os custos de importação e os impactos da tributação brasileira no preço final.

Bem equipado, o Grand Cherokee L mais acessível conta com recursos como o piloto automático adaptativo, monitoramento de pontos cegos, painel digital com tela de 10,25”, a central multimídia mais avançada da marca (Uconnect 5), entre outros itens.

Já em seu catálogo topo de linha, o Grand Cherokee L Summit V8 4x4 alcança US$ 62.290, pouco mais de R$ 320 mil, porém desconsiderando os custos de importação e tributação brasileira, o que certamente pode elevar o preço do SUV para algo próximo dos R$ 500 mil.

Além da motorização mais potente e o sistema de tração 4x4, o Grand Cherokee L Summit traz padrão de acabamento sofisticado, com direito até a detalhes de madeira Absolute Oak no painel e demais partes da cabine. Entre s exclusividades do modelo também figuram sistema de som da McIntosh com 19 alto-falantes, espelho retrovisor interno digital, câmera para monitoramento do assento traseiro, entre outros recursos.

No Brasil

É provável que a Jeep importe ao Brasil somente o Grand Cherokee L em suas versões mais caras, com tração 4x4 e motor 5.7 V8 sob o capô.

Além das opções Laredo e Summit, o Grand Cherokee L fez sua estreia nos EUA com os catálogos Altitude, Limited e Overland.

Atualmente um dos modelos mais caros da Jeep no Brasil é o Wrangler Rubicon, que ultrapassa os R$ 420 mil. O utilitário, contudo, traz proposta focada no off-road e perfil bem diferente em relação ao Grand Cherokee L. 

O SUV de grande porte também combina o motor 3.6 V6 com o sistema de tração 4x4 em algumas versões, o que abre caminho para uma eventual configuração mais acessível do modelo por aqui.