GM Austrália antecipa novo Omega

Sedã de luxo, ainda conceitual, tem visual reformulado e lista de equipamentos ampliada

Commodore Calais V é o novo Omega | Imagem: Holden

O Omega deixou de ser importado para o mercado brasileiro em 2012, mas o sedã de luxo da GM continua com a bola toda na Austrália, onde é comercializado com o nome Commodore e com a bandeira Holden, a divisão local do grupo. Pois bem, a marca australiana apresentou nessa segunda-feira (11) uma versão reformulada do carro, ainda conceitual, que ela chamou de Calais V – a data do lançamento definitivo ainda não foi informada.

Calais V, como antecipou a fabricante, é a nova designação para a versão topo de linha do Omega australiano, que está recheado de novos equipamentos.

O pacote de equipamentos do carro tem como principais novidades o Park Assist, que estaciona o veículo sem interferência do motorista no volante, sistema de entretenimento MyLink, alerta de objetos de pontos cegos do veículo e head-up display, que projeta as informações do painel no parabrisa, entre outros.

Já a parte visual do sedã, que não mudava de forma significativa desde 2006, foi enfim atualizada. Grade frontal, desenho do porta-malas e conjunto óptico foram suavizados, ganhando contornos ainda mais arredondados e o aspecto geral do veículo está mais limpo, livre de vincos ou grandes sobressaltos pela lataria.

A parte mecânica do modelo de luxo também permanece em segredo, mas é provável que a fabricante mantenha as opções 3.0 V6 e 6.2 V8, ambos com tração traseira.

Não se trata, entretanto, de uma nova geração do Omega. Conforme explicou a Holden, a reformulação no design e no pacote de itens darão ao carro uma sobrevida extra até a chegada da próxima linha, que está programada para ser lançada em 2017. Ainda de acordo com a marca, esse novo modelo, diferente do atual, será um projeto global, indícios de que o veículo pode se espalhar por mais mercados com mais pontos de produção.

Avaliação: Mais jovial, Malibu ganha em prazer ao dirigir

O Omega, porém, não deve voltar tão cedo para o Brasil, onde foi produzido entre 1992 e 1998 e depois importado da Austrália entre 1998 e 2012, até sair do catálogo nacional. Sem um representante na categoria dos sedãs de luxo, a GM prepara seu retorno ao filão com a nova geração do Malibu, que deve chegar ao mercado no segundo semestre de 2013.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!