GM pode prorrogar paralisação por mais 60 dias no Brasil

Fábricas da marca no país, com atividades suspensas desde o último dia 30 de março, ficarão mais tempo paradas
Vista aérea da fábrica de motores da GM em Joinville, Santa Catarina

Vista aérea da fábrica de motores da GM em Joinville, Santa Catarina | Imagem: Divulgação

A Chevrolet deve paralisar por mais 60 dias além do previsto suas unidades produtivas no Brasil, de acordo com a Forbes. A empresa informou esse novo posicionamento durante uma votação junto a funcionários sobre as propostas para enfrentar a crise gerada pela pandemia da Covid-19. 

As fábricas da empresa em nosso país estão com as atividades suspensas desde 30 de março e a previsão inicial era a de retomar os trabalhos em 13 de abril. Com o novo anúncio, as unidades produtivas poderão ficar paralisadas até meados do mês de junho, com os 60 dias extras sendo contabilizados a partir de 13 abril.

De acordo com a General Motors, a maior parte de seus funcionários no Brasil aceitaram os planos da empresa para o enfrentamento da crise. Entre as medidas tomadas estão a adoção de férias de coletivas em todas as fábricas e a redução de 25% dos salários durante o período de crise.

Apenas a unidade da companhia em São José dos Campos (SP) ainda não revelou, por meio de sua base sindical, se aceitará os novos termos. A General Motors informou que se a situação da pandemia não permitir a retomada das atividades dentro desses 60 dias previstos, o período de paralisação pode ser prorrogado por mais 30 dias, totalizando 90 dias.

Acima a nova geração do Chevrolet Tracker sendo produzida em São Caetano do Sul (SP)
Acima a nova geração do Chevrolet Tracker sendo produzida em São Caetano do Sul (SP)
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!