Guia do carro usado: Fiat Punto

Saiba qual versão você deve comprar, os pontos fortes e fracos do modelo
Fiat Punto 2008

Fiat Punto 2008 | Imagem: Divulgação

Tido como um dos primeiros “hatches compactos premium” de nosso mercado, posto que ocupava ao lado do Volkswagen Polo ainda em sua primeira geração como um concorrente direto, o Fiat Punto ficou pouco mais de 10 anos à venda no mercado brasileiro, começando sua carreira em agosto de 2007 e saindo de linha em janeiro do ano passado.

Como você pode conferir no levantamento histórico do Autoo em nossa seção Carros mais vendidos no Brasil, o Punto somou de 2008 até hoje exatas 271.429 unidades emplacadas. Já segundo a Fiat, a produção em toda vida do Punto nacional somou 290.698 carros.

Modelo com boa aceitação no mercado, o Punto registrou alguns picos de alta procura como, por exemplo, as 42.369 unidades vendidas em 2012, época em que o mercado como um todo vivia tempos gloriosos.

Pontos fortes

O Fiat Punto traz em especial três pontos em que merece muito destaque: a ótima ergonomia, o bom nível de acabamento e o comportamento dinâmico refinado que entregada.

Até mesmo o mote publicitário do Punto sempre fez questão de realçar que o hatch foi um modelo construído pensando em alegrar seu motorista. Os comandos bem posicionados e um volante com uma empunhadura ímpar – que até hoje serve como referência para muitos modelos – fizeram o Punto de destacar entre os consumidores que buscavam um modelo que entregasse algo a mais ao volante.

Por custar um pouco mais e deixar o papel de carro de entrada para modelos como o Uno ou o Palio, o Punto sempre ostentou um bom nível de acabamento para sua cabine. O acerto de suspensão, direção e freios também eram caracteríticas que cativavam quem assumisse o banco dianteiro esquerdo do modelo. Não foi por acaso que, a partir de 2009, o Fiat Punto ganhou a interessante versão esportiva T-Jet, com seu motor 1.4 turbo a gasolina de 152 cv.

Pontos fracos

Assim como alguns rivais de época como o Ford New Fiesta, talvez o principal problema do Fiat Punto fosse o espaço interno.

A cabine do hatch não era lá muito amigável com os passageiros no banco traseiro, porém o porta-malas de 280 litros estava na média do segmento.

Quais versões devo comprar?

Se você considera a compra de um Fiat Punto, vale a pena optar pelas unidades a partir da linha 2011. A grande questão é que a partir do ano/modelo em questão o Fiat Punto recebeu os motores 1.6 16V e 1.8 16V da família E.torQ, que trouxeram um desempenho bem melhor ao modelo bem como um consumo mais comedido.

Uma ótima pedida para o modelo é a versão Essence 1.6 16V. Ela oferece performance que se espera de um hatch compacto premium, o consumo é equilibrado e ela traz os principais equipamentos de conforto de série. Segundo dados da Fipe, uma unidade modelo 2015 da versão pode ser encontrada com preço na casa de R$ 40.000. 

Quais versões devo evitar?

Evite as primeiras unidades do Fiat Punto das linhas 2008 até 2010 que contavam com os motores 1.4 e 1.8. O Punto 1.4 deve muito em desempenho, enquanto o motor 1.8 exagerava no consumo.

A opção esportiva T-Jet é muito interessante, porém é necessário ter muito cuidado com a procedência do veículo e também é importante realizar uma boa inspeção técnica e mecânica para verificar o estado geral do carro antes de fechar negócio.

Outro alerta diz respeito às opções com o câmbio automatizado Dualogic, que podia ser encontrado nas versões 1.6 16V e 1.8 16V. Ele pode ser a solução para quem não aguenta mais ter que lidar com o pedal da embreagem, mas saiba que são comuns alguns “soluços” a cada troca de marcha com a transmissão operando em Drive. Logo, é necessário você realizar um bom test-drive para ver se acostuma com o sistema. Ele não oferece a suavidade de uma transmissão automática tradicional com conversor de torque ou CVT, mas ao menos é uma opção barata.

Fiat Punto 2008

Fiat Punto 2008

Fiat Punto Essence 2011

Fiat Punto Essence 2011