Guia: qual é o melhor hatch compacto por R$ 35 mil

AUTOO avalia 10 modelos disponíveis no mercado e aponta seus prós e contras

Volkswagen Gol 1.6 | Imagem: VW

Ainda não se tem certeza se o governo federal irá prolongar o desconto do IPI dos carros, mas caso isso não ocorra, os preços mais baixos têm prazo de validade: 31 de dezembro. Ou seja, se você ainda pensa em aproveitar essa oportunidade é bom correr. Para ajudar quem está de olho num novo hatch pequeno, tipo de veículo mais vendido no Brasil, AUTOO analisou 10 modelos no mercado e mostra seus prós e contras.

Para chegar aos 10 modelos, escolhemos o melhor de cada marca – por exemplo, VW e Fiat têm dois veículos nessa categoria e acabamos optando pelo mais novo. Também estipulamos um valor – de R$ 35 mil – que é o meio caminho entre uma versão quase sem equipamentos e a faixa de preços onde existem modelos “premiuns”. Todos os veículos analisados custam perto disso (permitimos uma tolerância de até R$ 1 mil para cima ou para baixo). Os modelos estão em ordem alfabética por marca. Acompanhe:

Chevrolet Onix LT 1.4 – R$ 34.990

Por que comprar – é moderno e tem 3 anos de garantia

Por que não comprar – para ter o MyLink gasta-se muito mais

O Onix representa a volta da Chevrolet ao segmento de entrada com um produto atraente e moderno. O hatch tem bom espaço interno, garantia de 3 anos e motor potente, de 106 cv na versão LT 1.4. Mas, para ter alguns itens bacanas é preciso pular para a versão LTZ ou gastar muito na LT, como é o caso do sistema de entretenimento MyLink, com tela sensível ao toque.

Fiat Palio Attractive 1.4 – R$ 35.197

Por que comprar – sistema de som com Bluetooth bastante prático

Por que não comprar – motor 1.4 é fraco comparado aos rivais

O novo Palio tem jeito de Punto, bom espaço interno, mas, custa caro pelo que oferece. Para ter ar condicionado, airbags e ABS o cliente terá que gastar mais de R$ 35 mil. Outro ponto fraco é o motor 1.4, de apenas 88 cv - alguns 1.0 hoje beiram isso. Quem pode deve optar pela versão 1.6 Essence.

Ford Fiesta 1.6 com kit Pulse – R$ 35.060

Por que comprar – custo-benefício bom

Por que não comprar – modelo envelheceu e tem acabamento inferior aos rivais

O Fiesta baiano (não confundir com o new Fiesta mexicano, mais caro) já está no mercado há mais de 10 anos e passou por muitas plásticas desde então. Continua vendendo bem porque traz bom custo-benefício com vários itens de série desejados, mas, custando R$ 35.060, você deixa de levar, por exemplo, um rádio de série. O acabamento também é fraco perto da concorrência.

Hyundai HB20 Comfort Plus com rádio – R$ 34.990

Por que comprar – é o carro mais equilibrado em vários sentidos

Por que não comprar – tempo de espera pode ser muito longo

O queridinho do momento está aqui nesse guia, mas há um problema: o carro da Hyundai tem uma lista de espera muito grande, ou seja, pode ser difícil se beneficiar do desconto do IPI. Ainda assim, é um dos veículos que muita gente quer saber se vale ou não a pena.  Pois o ponto positivo do HB20 é o equilíbrio em vários quesitos. Ele não é o mais potente nem o mais espaço, muito menos mais barato ou mais equipado. Mas não “tira zero” em nada. O visual caiu no gosto geral, a dirigibilidade é ótima, o motor 1.0 de 3 cilindros dá conta do recado e o acabamento é acima da média. Fora isso ainda tem a segunda maior garantia do mercado, de 5 anos.

JAC J3 1.4 – R$ 33.990

Por que comprar – tem o melhor custo-benefício entre os 10 modelos

Por que não comprar – fragilidade da carroceria

O modelo da JAC escolhido para esse guia seria o J2, mas o pequeno hatch não beira os R$ 35 mil estipulados. Como a marca chinesa abaixou o preço de seus carros, o J3 entrou em seu lugar, mas também mal chegou em nossa margem de tolerância. O detalhe é que não há opcionais no J3, ou seja, ele tem o melhor custo-benefício entre os 10 modelos – praticamente traz todos os itens analisados e mais outros nem sonhados nos rivais como suspensão traseira independente. Para fechar, ainda possui a maior garantia, com 6 anos. Pesa  contra ele, no entanto, o mal resultado no Latin NCAP deste ano, quando teve nova mínima mesmo com airbags e ABS.

Nissan March 1.6 S – R$ 34.090

Por que comprar – direção leve e garantia de 3 anos

Por que não comprar – deve alguns itens como ABS

O March chegou a assustar a concorrência local quando chegou. Com preço bastante atrativo e bons itens de série, o carrinho mexicano sumiu das lojas, mas as restrições de importação acabaram com a festa. Agora ele está de volta um pouco mais caro e com mais rivais para brigar. Ainda assim é uma boa pedida – tem dirigibilidade leve, bom espaço interno e um pós-venda considerado promissor. Mas poderia ter ABS de série, por exemplo.

Peugeot 207 XR 1.4 – R$ R$ 34.242

Por que comprar – design consagrado e rodas de liga leve

Por que não comprar – espaço interno reduzido e cor branca cobrada

O 207 está aqui nesse guia por pouco tempo. Com a chegada do 208 no ano que vem o hatch descerá um degrau e passará a brigar com carros abaixo de R$ 30 mil. A verdade é que ele perdeu a competitividade nesses anos. É pequeno, pouco equipado e até a cor branca, hoje em alta, é cobrada. Sobra apenas o design que virou clássico, com os “olhos felinos”, mas talvez seja pouco.

Renault Sandero Expression 1.0 – R$ 35.010

Por que comprar – é o mais espaço da categoria

Por que não comprar – motor é o mais fraco entre os analisados e acabamento também não enche os olhos

O Sandero é um fenômeno de v endas no Brasil. Ele responde por quase metade do volume de emplacamento da Renault por aqui e não é para menos. Tem um bom visual, preço condizente e um espaço interno inigualável até o momento. A garantia de 3 anos existe desde o lançamento e o modeo ganhou um motor 1.0 revisado recentemente. Mesmo assim, para pagar R$ 35 mil o Sandero tem pouca potência disponível para um modelo que pode levar cinco pessoas a bordo de verdade.

Toyota Etios 1.3 X – R$ 34.928

Por que comprar – Conjunto mecânico superior

Por que não comprar – simplicidade do acabamento chega a assustar

Talvez a Toyota tenha subestimado a importância do design para o brasileiro porque o Etios seria um compacto muito mais interessante com um visual externo e, principalmente, interno melhor. Outras marcas provaram que é possível ter bom gosto e manter os custos aceitáveis. Os japoneses mal tocaram nesse aspecto quando trouxeram o Etios da Índia. O resultado é um carro que nasceu com cara de velho. Uma pena porque basta você dirigi-lo para lamentar ainda mais o pobre visual. O Etios é bom de guiar: tem motor com respostas imediatas, câmbio confortável e suspensão bem acertada. Fora isso, a garantia da marca japonesa. Se você não liga para beleza, ele pode ser a resposta para suas necessidades.

Volkswagen Gol 1.6 – R$ 35.002

Por que comprar – apuro técnico superior

Por que não comprar – poucos itens de série e garantia modesta

O Gol é o carro mais vendido do Brasil há muito tempo e deve continuar assim. Isso é um fato. Dizer que isso ocorre por ele ser o melhor hatch compacto do país já é exagero. A geração 5 que recebeu um facelift este ano ficou bonita e continua a ter um acerto mecânico superior – basta dizer que o VW anda muito mais que seus rivais com menos potência teórica, embora tenha mais torque que eles. Mas a montadora alemã erra ao achar que seu produto é superior aos concorrentes só porque tem o logo “VW” no capô. Faltam, sim, mais itens de série para ele, menos pacotes casados e uma garantia de 3 anos, pelo menos.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!