HB20 dá o troco no Argo e retoma liderança entre os automóveis

Modelo da Hyundai havia sido superado pelo rival da Fiat nos emplacamentos acumulados até agosto, mas virou o jogo em setembro
Hyundai HB20 2020

Hyundai HB20 2020 | Imagem: Divulgação

Se a Strada segue inabalável como o veículo leve mais vendido do Brasil em 2021, a disputa pelo posto de automóvel mais emplacado do país neste ano segue acirrada. Depois de perder o posto para o Argo em agosto, o HB20 conseguiu reverter a desvantagem em setembro, acumulando até sexta-feira (17) 63.567 unidades emplacadas (veja gráfico abaixo).

Vale observar que o setor automobilístico separa automóveis (ou veículos de passeio) de utilitários, daí o fato de o modelo da Hyundai conseguir liderar uma subdivisão do mercado. Na prática, no entanto, parte das picapes vendidas no país como a Toro, S10 e Hilux, além da própria Strada, muitas vezes é usada como veículo de lazer e de tarefas não comerciais, por assim dizer.

A volta por cima do HB20, na verdade, tem muito a ver com a queda brusca nas vendas do Argo neste mês, tendência que já se notava em agosto. O hatch compacto da Fiat teve uma arrancada a partir de maio, chegando a beirar a marca de 11 mil unidades vendidas em duas ocasiões. Como sempre, o Argo depende das vendas diretas, modalidade que o grupo Stellantis aposta a maior parte das suas fichas.

Esse tipo de comercialização, voltada a clientes jurídicos, no entanto, sofre grandes oscilações semana a semana, geralmente se concentrando alto número de emplacamentos no final do mês. No entanto, em setembro, o Argo havia obtido apenas 1.529 unidades vendidas até sexta passada, 2 mil a menos que o HB20.

O carro mais popular da Hyundai, ao contrário, tem um desempenho mais constante nas vendas – seu menor patamar este ano foi de 6,8 mil unidades, e o maior, de 8 mil carros. A maior parte dos emplacamentos advém de pessoas físicas e negociações tradicionais.

O HB20 recuperou a liderança entre os veículos de passeio em setembro
Imagem: Divulgação

Crise dos chips

Não importa quem esteja na liderança, fato é que 2021 tem sido brutalmente afetado pela falta de componentes eletrônicos na indústria. Por isso, o cenário que vemos é bastante, digamos, artificial. Basta notar a ausência do Onix, veículo leve que liderou o mercado brasileiro por anos até que a fábrica de Gravataí sofresse com o desabastecimento.

Com sua ampla rede e um produto com grande demanda, a Chevrolet está ausente da disputa, o que favoreceu seus concorrentes. No entanto, após voltar a colocar um turno em funcionamento no mês passado, a montadora já registra uma retomada nos emplacamentos do Onix, que até dia 17 acumulava 2.651 unidades comercializadas. Só esse movimento limitado já devolveu o hatch compacto para as primeiras posições do ranking.