Honda ouve críticas e melhora conteúdo do Fit na linha 2016

Monovolume ganha mais itens e melhor percepção de qualidade um ano após chegada da nova geração. Preços começam em R$ 51.600

Honda Fit 2016 | Imagem: Divulgação

O Fit é uma espécie de galinha dos ovos de ouro da Honda. Lançado em 2003, o monovolume é um sucesso desde então e até hoje não encontrou um modelo que oferecesse a mesma versatilidade, confiabilidade e honestidade que ele.

Não é exagero dizer que ele não possui um rival direto. Como mescla as características de um hatchback, mas com vantagens de uma minivan, o Fit faz valer o significado do seu nome em inglês: “justo”.

A 3ª geração, lançada há cerca de um ano, ressaltou o lado esportivo para atrair o público masculino e dispensou o motor 1.4 em favor apenas do 1.5 mais eficiente e potente. O resultado agradou o público e hoje o Honda nunca vendeu tanto no Brasil. 

Mesmo assim, a marca japonesa decidiu corrigir alguns pontos fracos do modelo na linha 2016. Segundo ela, graças ao feedback de clientes e da imprensa especializada (incluindo o AUTOO), que acharam o carro muito espartano nas versões de entrada.

Por isso, agora o Fit 2016 teve os pacotes de série das versões DX, LX e EX melhorados – a versão top EXL permanece igual.

Fit DX

Versão de entrada, a partir de R$ 51.600, a DX agora traz rádio 2Din de série com conexão Bluetooth, ajuste de profundidade do volante e chave-canivete, esses dois últimos disponíveis apenas nas versões mais equipadas. Os espelhos retrovisores passam a exibir a cor do veículo e o painel de instrumentos ganhou uma iluminação em branco e azul ante o vermelho da linha 2015.

Fit LX

Uma das mais vendidas do Fit, a versão LX exibe agora acabamento prateado nas portas, volante, saídas de ar e base da manopla de câmbio além das novidades comuns a todos os Fit como tapetes com fixação no piso.

Fit EX

Mais popular versão do Fit, a EX se aproximou da EXL. Ela vem equipada com repetidores de direção nos retrovisores, detalhes metálicos no interior, volante com acabamento de couro e cruise control. O computador de bordo agora é mais completo e com um mostrador circular à direita do painel.

A Honda também oferece uma nova central multimídia como acessório, a Multi-Touch, que traz navegador, Bluetooth, Wifi, mas não espelha o celular como na versão usada no HR-V e Civic.

Pirâmide invertida

A mexida logo no primeiro ano do modelo demonstra que a Honda teme de certa forma a comparação do Fit com modelos que custam parecido, mas são de outras categorias. Carros como o Sentra e o Focus, por exemplo, são mais espaçosos e modernos em alguns aspectos por um preço bastante próximo.

Curioso mesmo é que, apesar de melhorar o conteúdo das versões de entrada, a própria Honda espera vender mais unidades das versões mais caras. Segundo a marca, o Fit EX e o EXL devem responder por 76% das vendas enquanto o LX ficará com 23% e o DX, o mais simples, apenas 1%.

O fenômeno, que ocorre também com o HR-V, torna a linha uma ‘pirâmide invertida’, algo incomum em outros mercados, onde o cliente é mais racional. O brasileiro, ao contrário, ainda se preocupa muito com a aparência do carro e a mensagem que ele passará para vizinhos, amigos e parentes, segundo um executivo de marketing ouvido pelo Autoo. As boas vendas do Fit corroboram essa impressão.

Confira os preços do novo Fit 2016:

DX MT R$ 51.600
DX CVT R$ 56.600
LX MT R$ 55.900
LX CVT R$ 60.800
EX CVT R$ 65.900
EXL CVT R$ 68.900

Assine a newsletter semanal do AUTOO!