Hyundai e Kia são acusadas de superestimar consumo de seus carros

Denúncia feita por agência de proteção ambiental nos EUA, abrange 13 modelos, entre eles o Elantra e o Soul

Hyundai Elantra | Imagem: Hyundai

As marcas Hyunda e Kia estão sendo acusadas pela EPA, agência de proteção ambiental dos Estados Unidos, de superestimar os números de consumo de combustível de 13 veículos vendidos por elas no mercado norte-americano.

De acordo com o órgão, a denúncia teve como base queixas de diversos consumidores que reclamaram que os dados de consumo de alguns veículos das marcas nunca eram alcançados e de propagandas de modelos como o Elantra e o Soul que induziam os compradores ao engano, informando que possuíam o melhor consumo da categoria.

Leia mais: EcoSport e HB20 estreiam com boas vendas

As fabricantes assumiram o erro na última sexta-feira (02) e explicaram que o equívoco ocorreu porque os testes que elas realizam utilizam critérios de avaliação diferentes dos metódos da entidade norte-americana.

De acordo com a Reuters, a acusação resultou, inclusive, na queda de 7% e 6,9% nas ações da Hyundai e da Kia, respectivamente, o que corresponde a um prejuízo de mais de US$ 3 bilhões de dólares em valor de mercado.

Além disso, as montadoras se comprometeram a reembolsar os proprietários dos veículos afetados por custos adicionais com combustível naquele mercado.

Outros casos

No caso da Hyundai, essa não é a primeira vez que é acusada de exagerar nos dados de consumo ou desempenho de seus carros. No Brasil, o caso que mais repercutiu na mídia foi o da real potência do motor 1.6 16V que equipa o Veloster.

Enquanto a montadora afirmava que o propulsor do cupê de três portas era o DOHC que desenvolvia 140 cv, a ficha técnica deste modelo com o mesmo bloco em outros países apontavam 128 cv.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!