O Inmetro divulgou uma nova tabela de consumo e eficiência energética. O sistema é semelhante ao usado em eletrodomésticos e indica uma nota de A a E, conforme o gasto de combustível. A avaliação leva em consideração também o porte do modelo, portanto um veículo médio, mesmo com consumo maior que um compacto, pode ter nota melhor.

Foi o que ocorreu com os sedãs Civic, da Honda, e Cerato, da Kia. Os dois foram os únicos a ter a nota máxima entre os modelos grandes – é importante ressaltar que o órgão segue critérios próprios quanto ao tamanho dos veículos. O que eles chamam de grande é o que mercado considera como médio.

O Honda com motor flex e câmbio manual faz 7,2 km/l na cidade com álcool e 10,2 km/l com gasolina. As versões LXS automática e EXS com opção sequencial também tiveram a nota A: seu consumo nas mesmas condições é de 6,5 km/l e 10,6 km/l, respectivamente. Já o Cerato também teve as versões manual e automática com avaliação máxima: o primeiro fez 10,1 km/l na cidade e 14 km/l na estrada e o segundo, 9,8 km/l e 13,8 km/l.

O rival Corolla, avaliado pela primeira vez, ganhou nota C, intermediária, com consumo de 6,5 km/l na cidade com câmbio manual e 6,6 km/l com transmissão automática. Os piores entre os médios foram a minivan Carens, da Kia, e o sedãs Jetta e Passat, da Volkswagen.

Mille é o mais econômico, mas poderia ser melhor

Entre os compactos e subcompactos, o Uno Mille Economy não justificou seu sobrenome: embora tenha feito 8,8 km/l com álcool e 12,4 km/l cm gasolina na cidade e ter o melhor desempenho entre os carros avaliados por ser um modelo leve e com motor 1.0 a impressão é que sua performance teria de ser melhor.

O Picanto, da Kia, o igualou com câmbio manual e gasolina, e Fit 1.4 manual, Polo Bluemotion e Gol 1.0 vieram a seguir, todos com nota A. Curiosamente, outros compactos da Fiat foram mal: o Palio, o Siena, Idea e Stilo tiveram nota E, com motor 1.4 e motor 1.8.

A avaliação do Inmetro ainda é facultativa, ou seja, a maior das marcas não envia seus carros para o órgão e mesmo as que participam não indicam todos os modelos. Na edição 2010, por exemplo, Renault e Toyota aderiram, mas sem a gama completa. Já a Chevrolet inexplicavelmente deixou de enviar seus carros como fez na edição passada. Nesse aspecto, vale o elogio a Fiat que mesmo com resultados não tão positivos manteve a transparência de seus produtos.

Confira a tabela do Inmetro clicando aqui

Conheça os carros mais vendidos do Brasil nos últimos 10 anos

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/