Jeep Commander 1.3 turbo flex é bom? Devo partir para o diesel? Confira avaliação

Aceleramos a opção mais acessível do SUV 7 lugares, que parte de R$ 246.790
Jeep Commander 2023

Jeep Commander 2023 | Imagem: Divulgação

Uma dúvida bastante comum antes na hora de optar por determinado automóvel é a questão da motorização. 

Salvo algumas exceções, diversas marcas e modelos optam por oferecerem seus produtos com algumas distinções importantes envolvendo o propulsor, tipo de câmbio e tração. 

No caso da gama Jeep Commander temos um exemplo muito interessante. 

A fabricante optou por colocar no mercado o seu SUV 7 lugares nacional em dois catálogos muito bem equipados, no caso o Limited e o Overland, sendo que a principal distinção no portfólio do Jeep fica por conta do conjunto mecânico. 

Jeep Commander 2023
Jeep Commander oferece motor diesel ou flex em seus catálogos Limited e Overland
Imagem: Divulgação

Tanto o catálogo Limited bem como o Overland podem ser equipados tanto com o propulsor 1.3 turbo flex com injeção direta, que oferece até 185 cv e 27,5 kgfm de torque com etanol, ou o 2.0 turbo diesel de 170 cv e 38,7 kgfm em sua aplicação para o Commander. 

O ponto primordial entre as configurações fica por conta do preço final do veículo. 

Enquanto o Commander Limited 1.3 turbo atualmente é tabelado em R$ 246.790, o Commander Limited 2.0 turbo diesel exige um cheque bem maior, no caso R$ 273.590. Uma diferença, portanto, de R$ 26.800. 

Mas o Commander flex já é suficiente? Em que momentos eu devo optar pelo diesel? 

As dúvidas começam a ser respondidas quando analisamos outras credenciais técnicas das duas configurações. 

Algo relevante a ser dito é que o sistema de tração integral é oferecido apenas no Commander com propulsão diesel, o qual recebe ainda a transmissão automática de 9 marchas. 

O Commander em questão é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 11,6 segundos e registra médias de consumo de 10,3 km/l na cidade e 12,9 km/l. 

Jeep Commander 2023
Detalhe do motor 2.0 turbo diesel 
Imagem: Divulgação

Apesar da superioridade no torque do Commander diesel, o SUV quando equipado com propulsão flex (automático 6 marchas e tração dianteira) não faz feio no quesito desempenho e é mais rápido do que o irmão, sendo capaz de cumprir a mesma prova de performance em 9,5 segundos. 

Se levarmos em consideração os números de consumo com gasolina, temos no Commander 1.3 flex parciais de 9,8 km/l na cidade e 11,8 km/l na estrada. Com etanol, os números ficam em 6,9 e 8,3 km/l, respectivamente. 

Lembrando que consideramos aqui sempre os dados para o Commander Limited com as respectivas motorizações. 

Jeep Commander 2023
Acima o Jeep Commander Limited 1.3 turbo
Imagem: Divulgação

Ao volante, podemos dizer que o Commander flex oferece respostas tão ágeis quanto o Commander diesel, com ambos oferecendo desempenho mais do que condizente com a proposta do SUV. 

Escolher entre o diesel ou o flex, com isso, passa mais pela sua necessidade (ou não) do sistema de tração integral dependendo do seu uso do veículo. 

Também é necessário ponderar o seu custo por quilômetro dependendo do combustível, uma vez que, recentemente, o diesel acabou perdendo vantagem se comparado com a gasolina em algumas regiões.

Vale salientar, em especial para quem preza por bom desempenho, que a Jeep prepara a aplicação de um novo motor 2.0 turbo, que poderá ser apenas gasolina ou flex, em um horizonte não muito distante para a gama Commander. Algo também a ser considerado. 

Enquanto isso não ocorre, você pode conferir, no vídeo abaixo, mais detalhes sobre o Commander 1.3 turbo flex:

Recomendados por AUTOO

Youtube
Qual entrega mais? Honda HR-V ou Citroën C3 Aircross?

Qual entrega mais? Honda HR-V ou Citroën C3 Aircross?

SUVs coadjuvantes em vendas podem ser opção para os best-sellers Creta e T-Cross
Aviação
Primeiro caça Gripen brasileiro vai voar em 2025

Primeiro caça Gripen brasileiro vai voar em 2025

Saab e Embraer estão montando no interior de São Paulo primeiro jato supersônico da FAB que será finalizado no Brasil
MOTOO
A partir de R$ 8,5 mil: motos Shineray, Honda e Yamaha

A partir de R$ 8,5 mil: motos Shineray, Honda e Yamaha

Lista reúne as 10 motos mais baratas do Brasil em maio de 2024. Descubra as opções