A Kia apresentou, no Salão de Xangai, o novo Kia Cerato, que lá é chamado de K3. Apesar de ter sido desenvolvido para o mercado chinês, com produção da fabricante local DYK (fusão entre a Dongfeng Yueda e a Kia), nada impede que o visual do novo sedã acabe inspirando mudanças em outros modelo mundo afora, incluindo o mexicano, que é importado para o Brasil, principalmente por levarmos em conta que os modelos são globais atualmente.

O visual ficou mais atraente e agressivo, com vincos mais pronunciados em toda a carroceria. A grade está mais pronunciada e os faróis ganharam traços retilíneos. As grandes entradas de ar do para-choque dianteiro dão imponência ao conjunto.

A comercialização do novo Cerato começa neste semestre em solo chinês, sendo vendido em duas versões: a gasolina e híbrido plug-in (que pode ser ligado na tomada). O propulsor abastecido com gasolina é 1.5 aspirado, enquanto o casado com o sistema elétrico será um 1.4 turbo.

Ostracismo no Brasil

Se lá fora o Cerato continua a ser um carro revelante para a Kia, no Brasil o sedan não é mais sombra do que foi. O grande momento do Cerato em nosso país ocorreu em 2011 quando quase 21 mil unidades foram vendidas e só ficou atrás do Civic e do Corolla no ranking. Na época, o sedan tinha uma proposta interessante: usava um motor 1.6 econômico e tinha preços mais em conta que Corolla e Civic. Mas o aumento do imposto de importação somado ao Inovar Auto, que dificultou a vida para carros feitos no exterior, minaram a estratégia da Kia. As novas gerações do modelo também não encantaram e o Cerato virou um ilustre desconhecido.

Desde que passou a ser produzido no México e com o fim do Inovar Auto, esperava-se que a Kia voltasse a invesir no modelo, mas até agora nada mudou - culpa do dólar valorizado, segundo a marca.

De qualuer forma, o Cerato precisa de um banho de loja por aqui como ser equipado com propulsor 2.0 flex aspirado, com 167 cv. Isso poderia deixar o sedan mais esperto e atraente para novos compradores, pois seu propulsor atual, o 1.6 de 128 cv, não enche os olhos dos consumidores. Aqui no Brasil foram emplacados apenas 2.472 unidades do Cerato em 2018, deixando o modelo na décima posição entre os sedãs médios vendidos do país. Ou seja, bem distante do primeiro colocado Toyota Corolla, quem emplacou 59.062 carros.

 

 

Kia Cerato 2020
Kia Cerato 2020
Imagem: Divulgação

 

 

Vinicius Montoia

Formado pela PUC-SP em jornalismo, Vinicius já atua no setor automobilístico desde 2013. É criador do canal Narração Esportiva do Youtube, projeto que conta a história dos maiores narradores esportivos do país

Vinicius Montoia | https://www.youtube.com/channel/UC2lKRtZdmSdMRJZ8Pim78Fw