Mudança de hábito: jeito de dirigir pode ajudar a economizar até 20% de combustível

Além da manutenção periódica, algumas práticas poderão ajudar também a gastar menos com peças
Apenas mudando certos hábitos ao dirigir é possível economizar um bom dinheiro

Apenas mudando certos hábitos ao dirigir é possível economizar um bom dinheiro | Imagem: Reprodução/iStock


É fato que os altos preços dos combustíveis sempre impactam significativamente no orçamento dos brasileiros, mas o que muitos não sabem é que dá para economizar mudando pequenos hábitos ao volante, principalmente quando mantemos as especificações originais do veículo.

Segundo o professor do grupo Wyden e engenheiro mecânico Luiz Vicente Figueira de Mello Filho, com algumas mudanças de comportamento, é possível reduzir de 15% a 20% de combustível, que está alinhado ao consumo determinado pelo Inmetro.

“A manutenção periódica, como a troca de óleo correto, além de filtros de óleo, combustível e velas de ignição e cabos de vela, ajuda na redução de combustível. Se o consumo aumentou após o abastecimento, desconfie do combustível”, alerta o especialista.

Além dessa dica principal, o engenheiro destaca que alguns tipos de comportamentos na direção também podem trazer gastos a mais ao motorista. Portanto, acompanhe as principais dicas e lembre-se sempre delas da próxima vez que for guiar o carro. Seu bolso agradece!

 

1- Acelerar de forma suave

Deve-se acelerar com suavidade no dia a dia para  ajudar na economia de combustível
Deve-se acelerar com suavidade no dia a dia para ajudar na economia de combustível
Imagem: Reprodução

O acelerador é o principal ponto chave no consumo de combustível, conforme explica o engenheiro. Um exemplo clássico, mas que nem todos dão a importância é nos semáforos. Ao perceber que vai passar do amarelo para o vermelho, vá freando gradativamente até o carro parar. Ao ficar verde, engate a primeira ou em “D”, se for automático, acelere calmamente até o carro ganhar velocidade.

Acelerações repentinas aumentarão significativamente o consumo de combustível. Além do controle da velocidade em que acelera, utilize até 20% do curso máximo do acelerador para reduzir o consumo de combustível. Além do acelerador, a troca de marchas erradas do câmbio convencional também impacta no consumo.

 

2-Verifique a calibragem dos pneus

Calibrar bem os pneus toda semana também contribui com a economia de combustível
Calibrar bem os pneus toda semana também contribui com a economia de combustível
Imagem: Divulgação

Quanto aos pneus, de forma geral, pode-se considerar que a cada 6 libras a menos é possível obter um consumo de 1% a mais. Por isso, verifique semanalmente ou, no máximo a cada 15 dias, a calibragem e lembre-se de calibrá-los sempre com os pneus frios. Nas estradas onde o pneu esquenta mais, é recomendado colocar duas libras acima da usual, sempre respeitando a recomendação da fabricante com o carro vazio ou carregado.

Alternativas como os pneus verdes - que têm menor resistência à rolagem de até 40% a menos dos tradicionais - têm ganho de até 8% no consumo de combustível.

 

3-Não exceda a carga e velocidade máxima permitida

Não passar dos limites de velocidade é outro hábito que evita gastos desnecessários
Não passar dos limites de velocidade é outro hábito que evita gastos desnecessários
Imagem: Divulgação

Rodar sempre no limite da capacidade máxima também irá aumentar o consumo de combustível, além de reduzir a vida útil dos itens de desgastes naturais como pneus, freios, amortecedores e molas. Por isso, jamais exceda o limite de peso permitido do veículo. Na dúvida, consulte o manual do proprietário e lembre-se de calibrar corretamente com o peso extra.

Geralmente na coluna da porta do carro vem uma etiqueta com uma tabela das libras recomendadas como, por exemplo, com o carro vazio e carregado. Colocar um bagageiro extra no teto do veículo também aumentará significativamente o consumo de combustível na estrada. Se não precisa levar bagagem, não as leve.

Quanto à velocidade, além de evitar multas por conta dos radares, você economiza dinheiro também com o consumo, já que um veículo costuma consumir, em média, 20% a mais de combustível em velocidades acima do permitido, segundo especialistas.

 

4-Descer engatado ao invés de ponto morto

Ao descer com o câmbio engatado, o sistema de injeção eletrônica corta a alimentação de combustível
Ao descer com o câmbio engatado, o sistema de injeção eletrônica corta a alimentação de combustível
Imagem: Divulgação

Descer em ponto morto ou o dito popular “descer na banguela” é um erro que afeta muito a segurança sob o risco de se perder a eficiência de frenagem. Além disso, não traz benefício no consumo de combustível.  Muito pelo contrário, se deixar o veículo desengatado, este gastará mais do que em freio motor, pois precisará injetar combustível para manter o motor em marcha lenta.

O ideal, segundo especialistas, é que a rotação de trabalho esteja por volta de 1.500 a 2.500 rpm, que é o regime considerado numa reta plana e em velocidade constante. Nessa faixa de rotação, o sistema corta a injeção de combustível ao motor, com as finalidades de segurança, redução de poluentes e, principalmente, de economia de combustível. “Em termos de redução de combustível, é algo muito específico, pois vai depender da calibração do motor, mas o que vai pesar mais ao consumidor é o gasto com discos, pastilhas e pneus que serão mais exigidos quando em ponto morto”, explica.

 

5-Planejar o caminho menor e mais rápido

Saber a rota certa que vai percorrer ajuda a evitar desperdício de combustível
Saber a rota certa que vai percorrer ajuda a evitar desperdício de combustível
Imagem: Divulgação

Planeje caminhos menores utilizando aplicativos de rotas, por exemplo. Os veículos foram projetados para andar e não ficar parado no trânsito. Por este motivo, a troca periódica do óleo lubrificante é estimada mais cedo para a utilização severa, que engloba transitar em áreas com grandes congestionamentos e uma velocidade de deslocamento muito baixa.

Por falar em trânsito, o uso do ar-condicionado impacta no consumo de 3% a 5% a mais, segundo o professor da Wyden. Portanto, é recomendado selecionar a velocidade do ar-condicionado de 1 até 2 para não ter um aumento significativo no consumo de combustível.

Na estrada, andar com os vidros fechados acima de 100 km/h é outra dica importante que ajuda. “É mais econômico andar com os vidros fechados e ar-condicionado ligado, do que deixar os vidros abertos e o aparelho desligado na maioria dos casos, principalmente na estrada”, reforça o engenheiro Figueira.

Siga o AUTOO nas redes: Instagram | LinkedIn | Youtube | Facebook | Twitter

Recomendados por AUTOO

Youtube
Choque de elétricos baratos

Choque de elétricos baratos

BYD Dolphin Mini ou Kwid E-Tech, quem leva a melhor nos modelos a bateria?
Aviação
Os novos porta-aviões da China e dos EUA comparados

Os novos porta-aviões da China e dos EUA comparados

Fujian e Gerald R. Ford são como forças aéreas móveis, capazes de se deslocar pelo mundo inteiro
MOTOO
5 motos 0km para comprar na faixa dos R$ 20 mil

5 motos 0km para comprar na faixa dos R$ 20 mil

Confira opções de modelos interessantes de Honda, Yamaha, Royal Enfield, Bajaj e Dafra