Velhinhos em alta: carros com 10 anos de uso já estão quase 20% mais caros

Segundo pesquisa, tendência de aumento de preços encontra-se reforçada
VW Gol: modelo foi o usado mais negociado em setembro; acima detalhe de unidade 2011

VW Gol: modelo foi o usado mais negociado em setembro; acima detalhe de unidade 2011 | Imagem: Divulgação

Constatação relevante foi divulgada nesta segunda-feira (18) pelo time de análise de mercado da KBB Brasil. 

Segundo a edição mais recente do Monitor de Variação de Preços da companhia, os carros 0 km modelo 2022 já acumulam uma alta de 12,9% entre janeiro e setembro deste ano. 

Isolando os dados do 3º trimestre revelados nesta segunda, a elevação dos preços dos modelos 2022 ficou em 5,3% no período. 

No mês passado, a média de variação dos preços dos carros novos ficou em 0,54%, superior ao resultado observado nos dois meses anteriores, o que demonstra que a tendência de aumentos, arrefecida no fim do primeiro semestre, reforçou-se. A variação média dos veículos 0 km com ano modelo 2021, grupo formado praticamente por carros de estoque atualmente, também avançou nos últimos três meses, fechando setembro com 0,31% de acréscimo”, analisa a KBB Brasil. 

A mesma curva ascendente dos preços dos carros novos neste último trimestre se repete nos segmentos de seminovos e usados, segue a KBB Brasil. 

Velhinhos em alta

Com relação aos automóveis com até 3 anos de uso, a alta acumulada foi de 1,37%, em média, no acumulado do 3º trimestre, sendo o ano modelo 2018 o que mais contribuiu para a subida de preços no período, com média acumulada de 2,69% de alta nos últimos três meses. Assim, este grupo acumula 11,12% de aumento em nove meses, sendo os modelos 2018 os que mais avançaram, com 14,87% de aumento”. 

Interessante destacar na pesquisa da KBB Brasil o notável aumento de preço dos carros com idade mais avançada, em especial aqueles que já alcançaram 10 anos de uso. 

Já no caso dos veículos ‘usadões’ (de 4 a 10 anos de uso), a variação média acumulada entre julho e setembro foi de 3,84%, sendo o ano modelo 2012 o mais ‘inflacionado’, com 4,17% de aumento médio no período”.  

Este é o segmento de veículos que mais subiu de preço relativamente, uma vez que a média de reajuste acumulado do ano já alcança 16,88%, com os modelos 2011 quase superando a barreira dos 20% de aumento total (já chegaram a 19,04% de acréscimo em nove meses)”, finaliza a KBB Brasil em comunicado. 

Fiat Uno 2018
Fiat Uno foi o terceiro usado mais transacionado em setembro
Imagem: Divulgação